Procon orienta como realizar teste de qualidade de combustíveis

Fiscalização está avaliando a qualidade do combustível vendido pelos postos. Foto: DIvulgação

Fiscalização está avaliando a qualidade do combustível vendido pelos postos. Foto: Divulgação

Na hora de colocar os gastos do mês na ponta do lápis, todo mundo sabe que a despesa com combustíveis pesa, e muito, no bolso de quem tem veículo. Por isso, o consumidor sempre opta por abastecer no posto mais barato. Só que sempre fica aquela dúvida: será que esse combustível é de qualidade?

Para responder às dúvidas dos consumidores, o Procon/MA firmou, este ano, uma parceria com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A parceria prevê a capacitação da equipe do Procon/MA para realizar a fiscalização da qualidade dos combustíveis e da regularização das bombas dos postos, de forma isolada ou em conjunto.

Contudo, o consumidor tem o direito de solicitar o teste. “De acordo com a Resolução n° 09/2007 da ANP, todo posto de combustível deve ter um kit de teste de qualidade disponível para que o consumidor realize o teste sem qualquer dificuldade”, afirmou o presidente do Procon/MA, Duarte Júnior.

Qualidade e Vazão da Gasolina

O teste de qualidade é feito em provetas de 100ml. Coloca-se 50ml de gasolina e 50ml de água na mesma proveta, depois sacode-se o tubo a fim de misturar os líquidos. A gasolina comum ou aditivada possui em sua composição um percentual de álcool anidro. Durante o teste, o álcool anidro que a gasolina possui se une aos 50ml de água adicionados, separando-se do combustível. O volume da água irá aumentar por causa disso, mas não deve ultrapassar o teto de 64ml. Se a quantidade de água for maior do que 64 ml, a gasolina pode estar adulterada.

Para saber se a bomba está liberando a quantidade exata de combustível, é realizado o teste de vazão. Em um balde aferidor, coloca-se 20L de gasolina direto da bomba. A diferença máxima aceitável do valor registrado na bomba para o valor medido pelo balde é de 100ml para mais ou para menos. Acima dessa margem, a gasolina ou o bico podem estar adulterados.

É importante ressaltar que os resultados destes testes são ainda preliminares e o combustível suspeito de adulteração deve ser encaminhado aos laboratórios credenciados junto à ANP para emissão de laudo definitivo, cabendo a possibilidade de suspensão imediata em caso de suspeita de irregularidades.

Caso o consumidor desconfie de adulteração, a denúncia pode ser realizada por meio do aplicativo do Procon/MA disponível para download, pelo site na internet ou em qualquer unidade física mais próxima. Pode ser feita também junto ao Centro de Relações com o Consumidor da ANP (CRC/ANP) clicando AQUI ou pelo telefone 0800 970 0267.

As dicas para verificação da qualidade do combustível também podem ser conferidas no canal do Governo do Maranhão, por meio deste link.