Outubro de recordes no Porto do Itaqui

Foto: Divulgação

O Porto do Itaqui fechou outubro com 2,4 milhões de toneladas de cargas movimentadas, recorde mensal, atingindo um total de 18,5 milhões de toneladas no acumulado do ano. A marca é resultado ainda da super safra de grãos e também da alta performance da operação de granel líquido, que obteve novo recorde com mais de 1 milhão de toneladas de combustíveis e derivados de petróleo movimentados em um único mês.

Também contribuem para esse resultado os investimentos da EMAP – Empresa Maranhense de Administração Portuária na ampliação da infraestrutura do Porto do Itaqui, além da atração de investimentos privados. “O número reflete o trabalho que vem sendo executado, consolida o porto do Itaqui como hub logístico do Corredor Centro Norte e da região Norte/Nordeste para movimentação de granel líquido. E a expectativa para 2019 é de um crescimento ainda maior, tendo em vista os projetos já existentes”, afirma o presidente da EMAP, Ted Lago.

Ele também chamou a atenção para o salto em produtividade desde a implantação do Centro de Controle Operacional (a partir de 2017) e a redução do tempo de espera de navios no Itaqui em mais de 50%.

Essa alta vem se desenhando desde julho, com a entrada em operação do Berço 108 e a retomada da movimentação de carga de entreposto de combustíveis para as demais regiões do país, empreendida pela Transpetro. No acumulado de janeiro a outubro foi registrada a movimentação de 5,3 milhões de toneladas desse tipo de carga (combustíveis, soda cáustica e etanol), um aumento de 30,6% em relação ao mesmo período de 2017.

O acréscimo de operações de transbordo foi responsável por cerca de 30% da movimentação, fruto do trabalho da empresa em parceria com a EMAP e demais clientes na busca contínua pela otimização dos processos operacionais.

Todos os investimentos, tanto públicos quanto privados, estão voltados à consolidação do porto público maranhense como hub logístico e canal estratégico de crescimento para o Maranhão e área de influência. O plano é dobrar a capacidade de movimentação de grãos em dois anos, com a segunda fase do Tegram, que deve começar a operar em 2020. Na movimentação de granéis líquidos a capacidade de armazenagem também deve dobrar dentro de três anos.

Com a infraestrutura do novo píer petroleiro, que entrou em operação em julho, a movimentação de granéis líquidos tende a crescer ainda mais com os investimentos planejados. Em setembro foram entregues à equipe da Secretaria Especial do Programa de Parcerias e Investimentos do Governo Federal os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEAs) para ampliação de capacidade de armazenamento de combustíveis do Porto do Itaqui. São quatro lotes, totalizando 169 metros cúbicos a mais de capacidade de armazenagem, com investimento privado estimado em R$ 450 milhões.

Além disso, estão em andamento as obras de ampliação do Tequimar-Ultracargo, um investimento de R$ 170 milhões, com geração de 400 empregos diretos e 1.200 indiretos. Mais de 60% dos serviços foram realizados, faltando acabamento de pintura, montagem de bombas de drenagem e teste hidrostático das linhas. A previsão é de que a obra seja concluída em dezembro.