Carlos Brandão representa Flávio Dino em conferência sobre o clima e reunião do Consórcio Nordeste

Vice-governador Carlos Brandão participa de abertura da Conferência Brasileira de Mudança do Clima. Foto: Divulgação

O vice-governador Carlos Brandão esteve na cidade de Recife (PE), representando o governador Flávio Dino, a fim de participar de duas importantes agendas, nesta quarta-feira (6): a abertura da Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada pelo Instituto Ethos, e a reunião do Consórcio Nordeste.

A Conferência

O evento segue até sexta-feira (8) e converge governos, ONGs, comunidade científica, movimentos sociais e classe empresarial. As discussões são acerca das experiências, negócios, tecnologias e políticas brasileiras que contribuem para frear o aquecimento global.

“O Maranhão é um Estado essencialmente produtor de grãos e com uma pecuária pujante. Mas seguimos defendendo o desenvolvimento de forma sustentável, sem prejuízos ao meio ambiente”, resumiu Brandão, ao descrever o caráter da presença do Governo maranhense durante o evento.

A Conferência é apartidária e tem também como base a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC Brasileira), o Acordo de Paris e a agenda 2030.

Vice-governador Carlos Brandão participa de abertura da Conferência Brasileira de Mudança do Clima. Foto: Divulgação

Em seguida, ainda na capital pernambucana, aconteceu a reunião do Consórcio Nordeste. Dentre os pontos de discussão entre os governos participantes do encontro, estiveram temas recorrentes: compra unificada de medicamentos, parcerias público-privadas, saneamento, investimento, medidas de enfrentamento de crime ambiental no litoral do Nordeste e cooperação internacional.

Este último, contudo, com maior desdobramento, por se referir diretamente às agendas institucionais que acontecerão de 16 a 23 de novembro em Paris, Roma e Berlim, com a atuação dos governadores e representantes dos estados nordestinos, nestas cidades europeias.

Em que consiste a Missão Europa – Os nove Estados do Nordeste, diante do enfrentamento de suas dificuldades financeiras, pretendem unificar suas buscas por capital estrangeiro em diversas áreas integradoras de toda a região, como: sustentabilidade, infraestrutura, turismo, segurança pública e energias.

A Missão Europa, portanto, estreia neste mês as articulações do Consórcio fora do País, inclusive na perspectiva de elaboração de projetos e cartas comuns que visam a apresentação de um “mapa” de oportunidades para investimentos no Nordeste, abordando a perspectiva de abertura de concessões setorializadas, melhoria da infraestrutura rodoviária, de transmissão elétrica e para conexão de internet, além de projetos com emprego de tecnologia de ponta para a segurança pública.

Os estados pretendem também sinalizar para o fomento das rotas de turismo e para um grande complexo de projetos e programas de sustentabilidade, com destaque para o ambiente urbano, saneamento, estímulo a energias renováveis, exploração e distribuição de gás.

O governo Flávio Dino deve apresentar, na Europa, propostas previamente estudadas e elaboradas para sanar gargalos atuais da gestão, que necessitam do maior apoio e coparticipação de gestões financiadoras, a exemplo do que tem sido trilhado para a Missão.

“Nossas expectativas de sucesso nesta empreitada são as melhores”, planejou Brandão, que cumpriu os compromissos em Recife acompanhado do secretário-adjunto de Planejamento e Orçamento, Roberto Matos.