Setur realiza I Workshop sobre Política de Regionalização do Turismo e Instâncias de Governanças Regionais

Evento virtual foi acompanhado por cerca de 70 pessoas

A importância e a aplicabilidade da Política de Regionalização do Turismo (PRT) da Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e o processo de funcionamento das Instâncias de Governança Regionais foram tema principal do I Workshop realizado pela pasta, nesta quinta-feira (29). O evento virtual foi acompanhado por cerca de 70 pessoas e aconteceu pela plataforma Google Meet. 

A abertura foi feita pela superintendente de Regionalização do Turismo da Setur, Gloria Pinto, que deu boas-vindas aos participantes, introduziu o assunto com apresentação da Política de Regionalização do Turismo e seu histórico, falando sobre a importância da IGR e do remapeamento do Turismo brasileiro que acontecerá em 2021. 

“É importante que os municípios e as IGRs estejam alinhados com as ações e parcerias nas esferas estadual e federal. Cumprir os planejamentos e ter um bom resultado para o Turismo no Maranhão é necessário, mesmo diante da crise sanitária que nos encontramos”, pontuou Gloria Pinto. 

A mediação foi realizada pela técnica de regionalização da Setur, Karlla Santos, que explicou sobre as legislações, regulamentações, sistemas de informações, entidades envolvidas e dos critérios para integração à política, tanto para municípios quanto para Instâncias de Governanças Regionais (IGRs). 

“O objetivo deste Workshop foi esclarecer questões técnicas, detalhar os processos, contextualizar a Política de Regionalização do Turismo e apresentar de forma mais prática o processo de criação das IGRs”, afirmou Karlla Santos. 

Governança: Território Afeto

A turismóloga e jornalista especializada em turismo, Alessandra Lontra, falou sobre a importância do Programa de Regionalização e fez a apresentação do modelo de funcionamento da IGR na Paraíba. “Estimular o aprendizado de forma coletiva e conhecer as experiências das instâncias de governança de outros estados, só fortalece a governança e faz com que as pessoas enxerguem o seu território com mais afeto e mais pertencimento”, afirmou Alessandra Lontra, gerente Executiva de Turismo do Estado da Paraíba.

Um dos destaques foram as participações da Elisiane Silveira (SC), que mostrou o case de sucesso da IGR de Grande Oeste, Santa Catarina. A vice-presidente da IGR Grutas (Minas Gerais), Mariela Janice, falou sobre o case de sucesso da IGR, implantado e consolidado em Minas Gerais. A técnica em Turismo, Andrea Sanches, apresentou o Circuito Grutas (MG). O Material promocional do Turismo do Maranhão, foi apresentado pela superintendente de Promoção, marketing e eventos da Setur, Cristiane Muller. Por fim, o superintendente da Chapadas das mesas, Beto Kelnner, exibiu um vídeo que mostra o case de sucesso do Polo turístico da Chapada das Mesas.

Regionalização

O Programa de Regionalização do Turismo, idealizado e orientado pelo Ministério do Turismo (MTur), trabalha a convergência e a interação de todas as ações desempenhadas pelo MTur com os 26 estados + Distrito Federal e municípios brasileiros. Seu objetivo principal é o de apoiar a estruturação dos destinos, a gestão descentralizada e a promoção do turismo no País, a partir de oito eixos estruturantes com vistas ao desenvolvimento regional. 

Instância de Governança Regional

A Instância de Governança Regional é uma organização criada com participação do poder público e dos atores privados, dos municípios componentes das regiões turísticas, com o papel de colaborar na execução do Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil em âmbito regional. 

As IGR são constituídas por um conjunto de municípios de uma mesma região, com afinidades culturais, sociais e econômicas, que se unem para organizar e desenvolver a atividade turística regional de forma sustentável, por meio da integração contínua dos municípios, consolidando uma atividade regional. 

Essas Instâncias podem assumir estrutura e caráter jurídico diferenciados, sob a forma de fóruns, conselhos, associações, comitês, consórcio ou outro tipo de colegiado. O intuito é ampliar a participação da sociedade nos processos decisórios e na gestão da atividade turística, além de servirem como mecanismo para qualificação e ampliação da oferta turística regional. 

No Maranhão são dez polos turísticos, e o objetivo é que cada um tenha uma representação de IGR.

Comentários

Comentários