Hospital Dr. Genésio Rego completa um ano no combate à pandemia com mais de mil pacientes atendidos

Raynon Leite (Foto: Divulgação)


Inaugurado para reforçar o combate à pandemia do coronavírus na capital, o Hospital Dr. Genésio Rego completou um ano de funcionamento nesta terça-feira (6). Ao longo de um ano, a unidade já atendeu 1.131 pacientes, sendo 892 em enfermaria e 239 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Para marcar a data, profissionais de saúde e pacientes participaram de um momento de adoração e louvor.  

“Em um momento tão difícil, a nossa comemoração é por ter conseguido salvar tantas vidas”, disse a diretora geral do hospital, Larissa Cavalcanti Moraes. “É um momento não para festejar, mas para lembrar a luta que tivemos, reconhecendo a dedicação de todos. Foi um desafio receber esse hospital e conduzir com humanização, mas conseguimos ajudar essas famílias e trazer educação em saúde, dando também suporte para os nossos profissionais. Foi um ano de aprendizado”, acrescentou Aline Almeida, diretora administrativa do hospital. 

Uma pessoa de cada setor representou a equipe e os pacientes considerados estáveis puderam participar. Voluntários da Comunidade Católica Louvor e Adoração e o pároco da Paróquia São Vicente de Paulo, padre Claudinei Francisco de Oliveira, levaram para o local o Santíssimo Sacramento, para abençoar os funcionários e os pacientes internados pela Covid-19. “Ainda estamos vivendo a alegria da Páscoa, o tempo da ressurreição, da vida nova. É o momento de alimentar nossos corações, o coração das famílias e pacientes com esperança, pedindo a Deus que dê a cura e restauração da saúde dos que estão sofrendo, através da providência divina”, disse o padre Claudinei Francisco de Oliveira. Em seguida, os voluntários da Igreja Evangélica Paz Church fizeram uma oração pelos enfermos.

O pastor Elson Silveira Mota comandou o momento e relembrou como foi voltar ao local depois de ter sido tratado e curado no Hospital Dr. Genésio Rego. Com 53 anos, ele deu entrada na unidade de saúde no dia 24 de dezembro de 2020, foi tratado em enfermaria e teve alta no dia 3 de janeiro deste ano. “É uma gratidão muito grande voltar aqui, porque me tocou muito a forma como eu fui tratado. Eu não fui tratado bem por ser pastor, porque nem sabiam que eu era pastor. Fui tratado bem como cidadão. Os outros que estavam na mesma enfermaria foram tratados da mesma forma. Um tratamento excelente pelos médicos, enfermeiros, maqueiros, pessoal da limpeza, todo o pessoal envolvido. Aquilo me impactou muito. Então voltamos aqui para trazer esperança aos enfermos. Na Bíblia tem um texto que diz que ‘para o que está entre os vivos há esperança’. Deus usa a mão dos profissionais e medicamentos para que sejam instrumentos dessa restauração”, disse o pastor. 

O professor de educação física Raynon Leite, paciente na unidade, pode participar do momento de adoração. Ele está internado há 25 dias e chegou a passar cinco dias na UTI. “Esse momento para mim é um sinal de esperança, de estar curado, não só fisicamente, mas também espiritualmente. Que a gente nunca perca a fé, pois sem fé a gente não é nada”, comentou o professor. O Hospital Dr. Genésio Rego é gerenciado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

Comentários

Comentários