Governo auxilia na vacinação de quilombolas em Alcântara e Viana

Vacinação de comunidades quilombolas em Alcântara e Viana

A Força Estadual de Saúde do Maranhão (FESMA) segue auxiliando os municípios na imunização das comunidades quilombolas contra a Covid-19. Nesta semana, os profissionais da FESMA, vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (SES), percorreram as cidades de Alcântara e Viana auxiliando tanto na aplicação das vacinas como também no registro de doses utilizadas. 

“Temos firmado parceria com as gestões municipais para que continuemos o trabalho de apoio já realizado. Em face do período em que vivemos, deslocamos equipes da Força para que pudessem agir em consonância com os agentes locais, acelerando o processo de imunização, e, assim, ampliando o número de pessoas protegidas contra o vírus”, disse a coordenadora da FESMA, Cheila Farias. 

Das 18 comunidades existentes nos dois municípios, 11 estão localizadas em Viana, onde já foram aplicadas 1.174 doses da vacina AstraZeneca, o que garantiu a primeira dose do imunizante a centenas de quilombolas. As comunidades visitadas pelas equipes da Força em Viana foram: Mocambo, Santa Rosa I, Carro Quebrado, Capoeira, Cajueiro, Caranguejo, Cacoal, São Cristóvão, Melhora e Ferreira. 

Em Alcântara foram aplicadas 1.842 doses. As comunidades percorridas foram: Cujupe, Oitiua, Itamatatiua, Peroba, São João de Cortes, Peptal – Peru, Japeu e Sede do município. 

Maria de Fátima Costa Lopes, de 67 anos, do município de Alcântara, recebeu a primeira dose da vacina contra o Coronavírus. Segundo ela, o medo deu lugar à esperança e à alegria. “No mundo todo, a pandemia já fez várias vítimas e nós ficamos muito felizes com a chegada deste dia e com ele também a vacina”, compartilhou. 

Vacinação de comunidades quilombolas em Alcântara e Viana

A vacinação das comunidades quilombolas segue as orientações do Ministério da Saúde e do Ministério Público Federal, que recomendaram a instituição de medidas para evitar o contágio e a disseminação da doença entre povos e comunidades tradicionais brasileiras. São grupos com modos de vida próprios e coletivizados, em que o trabalho e as demais interações se dão tradicionalmente pelo contato e proximidade entre integrantes da comunidade. 

Alinhamento

Em paralelo às ações de campo da FESMA, a SES se reuniu hoje, por meio de videoconferência, com representantes da Secretaria de Estado de Igualdade Racial (SEIR) e gestores municipais de igualdade racial para que mais estratégias sejam pactuadas em benefício dos quilombolas maranhenses. Segundo o superintendente de Atenção Primária da SES, Márcio Menezes, o momento serviu de sensibilização.

“Ficou pactuado que continuaremos a prestar apoio às gestões locais com toda a logística necessária. Isso inclui o envio de pessoal treinado, tais como vacinadores e digitadores para inclusão de dados no Sistema de Imunização do Ministério da Saúde”, disse.

Com o trabalho, o Maranhão ganha em organização e agilidade, contribuindo para o alcance até mesmo dos quilombolas que residem distantes da sede de cada município. No Maranhão existem 90 municípios com a presença de comunidades tradicionais.

Comentários

Comentários