Humanização auxilia tratamento das sequelas do coronavírus

Paciente com síndrome ‘pós-covid’ atendida no Alarico Pacheco, em Timon. (Foto: Gabriela Santana)

Mesmo após diagnóstico de cura, muitos pacientes contaminados pelo novo coronavírus continuam tratando sintomas persistentes provocados pela doença, o que os médicos têm chamado de síndrome ‘pós-covid’.

No hospital Alarico Nunes Pacheco, em Timon, a humanização no atendimento aos pacientes tem sido uma grande aliada no tratamento eficaz nos pacientes com sequelas do coronavírus, como a Maria Neuza de Araújo, de 47 anos. Ela tem síndrome de down e foi internada há dois meses para tratamento da Covid 19, após a cura do coronavírus, a paciente trata, agora, as sequelas trazidas pela doença. 

Paciente com síndrome ‘pós-covid’ atendida no Alarico Pacheco, em Timon. (Foto: Gabriela Santana)

“Esse tratamento é essencial para garantir a melhora dos pacientes. Procuramos realizar os procedimentos da melhor maneira possível. O atendimento humanizado trata o paciente com dignidade e respeito gerando diversos benefícios. Temos uma equipe satisfeita, engajada e um atendimento pautado na ética e otimização do serviços”, disse Gardênia Carvalho, diretora administrativa do hospital Alarico Pacheco. 

Essa ação integra o conjunto de projetos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) que têm como principal objetivo a humanização de cada paciente da rede pública estadual. O “Cinema nas Enfermarias”, as oficinas de pinturas e atividades laborais, são algumas das atividades desenvolvidas, por exemplo, para os pacientes do Hospital do Câncer do Maranhão.

Paciente com síndrome ‘pós-covid’ atendida no Alarico Pacheco, em Timon. (Foto: Gabriela Santana)

“É para promover maior qualidade de vida aos maranhenses que a gestão estadual tem investido na rede de serviços de saúde, com a oferta de um cuidado especializado para promoção da saúde”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Comentários

Comentários