Residências Terapêuticas promovem tarde interativa em alusão ao Setembro Amarelo

Atividades do Projeto Resplandecer nas Residências Terapêuticas da SES (Foto: Márcio Sampaio)

Promover autonomia, a descoberta de capacidades e proporcionar o bem-estar. Foi com esse intuito que as Residências Terapêuticas, equipamentos voltados à saúde mental promoveram o Projeto Resplandecer. Tendo como símbolo o girassol, a ação, que aconteceu na tarde desta terça-feira (15), contou com a exposição de artesanatos confeccionados pelos pacientes, apresentação de danças típicas e produção de pastéis. As Residências Terapêuticas fazem parte da rede da Secretaria de Estado da Saúde (SES). 

“Escolhemos o girassol como exemplo do que queremos através do projeto. Ou seja, por ser uma planta que se volta para a luz, queremos mostrar que apesar da deficiência mental, eles são funcionais e têm a capacidade de brilhar e serem produtivos. Essas iniciativas, além de promoverem bem-estar, também contribuem para interação entre si e com outras pessoas”, disse Mayara Magalhães, coordenadora da Residência Terapêutica III “Jardim das Flores”. 

A programação foi pensada a partir de quatro pontos: Arte, com realização e exposição de trabalhos manuais; Dança, através de apresentações de danças típicas; Alongamentos e Cozinha, com o preparo de pastéis feitos pelos próprios residentes. O objetivo do evento também é a descoberta de capacidades com foco na produção e de como essa atividade pode acarretar bem-estar para o residente. 

De acordo com a coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III) “Dr. Bacelar Viana”, Margiane Neves, são pessoas que possuem peculiaridades, mas que podem habitualmente conviver como qualquer um. “São indivíduos que antes estavam alheios à sociedade, mas que hoje têm um olhar diferenciado. Um projeto como este faz com que esses pacientes sejam vistos por suas capacidades e particularidades”, destacou. 

Atualmente, a rede de saúde mental do estado possui três equipamentos: a Residência Terapêutica I Dra. Amarilis Toledo (São Luís), Residência Terapêutica II José Raimundo Brandão (São Luís) e Residência Terapêutica III Jardim das Flores (Paço do Lumiar). As RTs fazem parte do chamado Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs), os quais foram implantados para dar acolhimento e atendimento psiquiátrico a indivíduos que perderam seus vínculos familiares. 

As três unidades funcionam como pontos de cuidado na Rede de Atenção Psicossocial nas Estratégias de Desinstitucionalização, uma vez que se tratam de moradias inseridas na comunidade. 

Cada uma das RTs é responsável por acolher os pacientes em um período de longa permanência, ao mesmo tempo em que dão perspectiva da garantia de direitos e promoção à autonomia.

Comentários

Comentários