Governo leva testes de Covid-19 a idosos em instituições de longa permanência em São Luís

SES levou teste de Covid-19 a idosos que residem em Instituições de Longa Permanência (Foto: Julyane Galvão)

Dando continuidade às ações de enfrentamento ao novo coronavírus, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), levou testes de Covid-19 a idosos com idade acima de 60 anos que residem em Instituições de Longa Permanência (ILPIs). O trabalho contou com a Força Estadual de Saúde do Maranhão (FESMA), e também contemplou os profissionais que trabalham nos estabelecimentos. 

“Somente nesta semana, testamos três instituições, totalizando 42 idosos e 50 profissionais que são colaboradores nestas instituições. A proposta é começar pelo município de São Luís até posteriormente contemplarmos unidades existentes nos demais municípios do Maranhão”, disse a coordenadora do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso, Claudiana Cordeiro. 

Na capital, cinco unidades já foram visitadas pela equipe da FESMA. A equipe de profissionais de saúde do estado visitou as instituições levando ainda outros serviços. Em todo o estado, são 17 ILPIs que cuidam de idosos com idade acima de 60 anos. 

Além do teste, as pessoas são também submetidas a uma rápida entrevista para levantamento de informações referentes a sinais, sintomas e contato com possíveis casos suspeitos. 

De acordo com a coordenadora e responsável técnica por um dos institutos visitados, Rose Novaes, a presença do Estado dentro das instituições simboliza segurança. “É uma garantia tanto para os profissionais como para os familiares que a saúde dos idosos está sendo resguardada. Ao final, iremos montar um relatório de forma a comunicarmos todos os responsáveis legais dos idosos quanto ao resultado dos testes, independentemente do que for apontado”, destacou. 

Idodos fazem teste de Covid-19 (Foto: Julyane Galvão)

Para evitar maiores riscos, colaboradores que atuam nas instituições como recreadores, artesãos e terapeutas ocupacionais foram suspensos, mantendo apenas as especialidades essenciais: cuidadores, técnicos, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos. A senhora Maria do Rosário Aquino de Carvalho, de 73 anos, aprovou a iniciativa. “Durante os momentos mais intensos da doença, os meus filhos é que saíam para fazer as coisas por mim, pois fiquei em casa sem ir a lugar algum. É ótimo poder contar com um suporte como este, de ter esses profissionais aqui conosco. A gente se sente seguro, pois alivia o nosso emocional e psicológico também”, comentou. 

O senhor Paulo Júnior de Castro, de 81 anos, disse ser grato por tudo. “A gente tem que agradecer a Deus por tudo, porque é ele quem está proporcionando isso. Foi ele quem trouxe esses profissionais aqui”, destacou. 

Segundo o enfermeiro da FESMA, Rômulo Bogéa, as entrevistas servem como mapeamento e levantamento de dados no traçado de novas estratégias de enfrentamento ao Covid-19. “Durante a coleta, aproveitamos para conversar com os assistidos. Perguntamos o nome, ocupação, se apresentou algum sinal e sintoma gripal”, detalhou.

Comentários

Comentários