Trabalho voluntário de inovadores do Maranhão produz máscaras, protótipos e quase 7 mil face shields

EPIs produzidos no Casarão Tech (Foto: Divulgação)

A solidariedade e a união de esforços vêm fazendo a diferença no combate ao novo coronavírus em todo o planeta. No Maranhão, um exemplo de sucesso é o trabalho voluntário do grupo Makers contra o Covid-19, que ganhou destaque na luta contra a doença. Os makers são pessoas que usam a inovação para produzir coisas, e a parceria desse grupo de inovadores com a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e inovação (Secti) foi responsável pela produção e distribuição gratuita de milhares de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) contra o vírus.   

Segundo balanço divulgado pela Secti, em pouco mais de quatro meses, a comunidade Makers do Maranhão produziu 6.800 protetores faciais (face shields), além de protótipos de máscaras N95, Ambu automatizado (unidade manual de respiração artificial), respiradores, cabine de desinfecção e dez unidades de cabines de acrílico. 

Ao todo, foram 70 voluntários envolvidos na ação, que desde o dia 26 de março vinham confeccionando os EPIs em home office ou nas instalações do Casarão Tech Renato Archer – espaço de inovação mantido pelo Governo do Maranhão no Centro Histórico de São Luís, voltado para o fomento do empreendedorismo tecnológico no estado. 

Os equipamentos produzidos foram entregues para as Secretarias de Estado da Saúde (SES) e de Governo (Segov), que redistribuíram os EPIs de acordo com a necessidade dos órgãos da administração estadual. 

Trabalhos não param

Mesmo com a queda na taxa de contágio e da ocupação de leitos exclusivos para casos de Covid-19, os Makers do Maranhão não pararam. 

Atualmente, os voluntários seguem focados na finalização do protótipo do respirador. Além disso, a comunidade Makers está finalizando uma cabine de desinfecção que será instalada no próprio Casarão Tech Renato Archer, para somar às ações de etiqueta sanitária já adotadas no espaço.

Para garantir a execução da ação, o Governo do Maranhão disponibilizou logo no início da crise epidemiológica R$ 200 mil iniciais para a compra dos equipamentos utilizados na linha de montagem. Foram usados na produção dos EPIs: 17 impressoras 3D, máquinas de corte (CNC a laser), máquina de termoformagem, entre outras ferramentas.

Além da secretaria e do grupo Makers contra o Covid-19, outras 14 instituições apoiam a ação: a Vale, Iema, Sedes, SES, Semus, Senai, UNDB, UFMA, UEMA, IFMA, +Robotic, Amnizy, 7 Cores, Etcetera.

Com esse tipo de ação, os envolvidos no processo deixam um importante recado para sociedade, mostrando que o mais importante nesse momento de pandemia é a união de todos a favor da vida.

Comentários

Comentários