Paciente assistido pelo Centro de Hemodiálise São Luís recebe alta médica após oito meses de tratamento dialítico

Pedro Batista dos Santos com equipe do Centro de Hemodiálise (Foto: Divulgação)

“Agora é tudo novo. Um sentimento de alívio”. Foi o que disse o paciente Pedro Batista dos Santos, após receber alta do tratamento dialítico recebido no Centro de Hemodiálise São Luís durante oito meses. O caso é raro e o tratamento realizado permite que o senhor Pedro, de 72 anos, viva com mais qualidade de vida, além de poder ter mais tempo para cuidar da família e tratar de outras comorbidades. 

Segundo a diretora administrativa, Ana Patrícia Ferreira Guimarães, a unidade de hemodiálise que integra a rede da Secretaria de Estado da Saúde (SES) possui uma área específica que conta com um Ambulatório de Nefrologia DRC IV e V, com estrutura voltada para atender tanto os que receberam alta como os pacientes pré-dialíticos. 

“Enquanto recebia atendimento presencial, o paciente realizava três sessões por semana, sempre às terças, quintas e sábados. Após a alta médica, o Centro de Hemodiálise São Luís continua prestando acompanhamento por meio de atendimento ambulatorial, com apoio de uma equipe multiprofissional composta por médico nefrologista, enfermeiro, assistente social, psicólogo e nutricionista”, explica Guimarães. 

O drama do senhor Pedro começou em novembro do ano passado, quando ele estava em viagem com a família para comemorar o seu aniversário. Em uma tour que começou em São Luís, e terminaria na cidade de Parnaíba, o idoso começou a se sentir mal. Ao chegar em Fortaleza, ele foi levado para o Hospital Geral, onde foi submetido a exames que constataram alterações nos rins. Imediatamente, a equipe médica o internou. Pedro permaneceu na unidade de saúde de 5 novembro a 8 de dezembro, quando recebeu alta.

No dia 10 de dezembro de 2019, o paciente deu início a sua nova rotina no Centro de Hemodiálise São Luís, acompanhado da dieta alimentar. Durante o tratamento, o paciente apresentou melhora da função dos rins e, após avaliação laboratorial e clínica, o paciente recebeu alta da hemodiálise e foi encaminhado para acompanhamento médico ambulatorial mensal, sem a necessidade de diálise. 

Há duas semanas o senhor Pedro tem experimentado uma nova realidade. Segundo ele, gratidão resume a série de sentimentos que se seguiram após a inesperada notícia. “Desde o início, o tratamento que eu recebi foi muito bom. Mesmo com o suporte dos profissionais que cuidaram de mim, eu não posso deixar de fora a minha família. Sem ela eu não teria suportado tudo isso. Agora é me acostumar com a rotina e continuar cuidando da saúde, seguindo as recomendações dadas”, comentou o paciente. 

Entre as orientações que foram passadas, Pedro deverá redobrar a atenção com a sua alimentação. Das restrições alimentares, ele não poderá ingerir marisco, comidas que levam sódio o potássio, produtos enlatados, miúdos (fígado, moela e coração) e algumas frutas, como a carambola, por exemplo. De agora em diante, ele também manterá o tratamento medicamentoso para controlar a anemia, com consultas ambulatoriais uma vez por semana. Além disso, deverá continuar tomando remédios para evitar convulsões (ele também possui meningioma, uma espécie de tumor benigno no cérebro) e tratar a hipertensão. 

Para Lívia Fernanda Cantanhede, de 40 anos, uma das filhas do senhor Pedro, atenção aos detalhes foi a principal característica registrada. “Ficamos muito felizes, pois era muito difícil ter uma reversão dessa. É um procedimento muito cansativo e ele ganhou um pouco mais de qualidade de vida e focar um pouco mais nos outros tratamentos”, comentou. 

Atualmente, o Centro de Hemodiálise São Luís atende 150 pacientes, todos de estágio 5, tal qual o senhor Pedro Batista. Assim como Pedro, outros 12 pacientes dialíticos já receberam alta médica e não precisarão mais recorrer a sessões de hemodiálise.

Comentários

Comentários