Governo dialoga buscando soluções para falta de cimento, telha e tijolo no Maranhão

A Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) segue dialogando com segmentos empresariais sobre os problemas enfrentados durante a pandemia do novo coronavírus. Recentemente, o secretário Simplício Araújo realizou mais uma videoconferência com empresas do ramo da construção civil (principalmente relacionadas à produção de telha, cimento e tijolo) e da indústria cerâmica.

Durante a videoconferência, os empresários apresentaram dados sobre a atual situação dos setores. O secretário Simplício Araújo aponta que a Seinc está acompanhando tanto os indicadores epidemiológicos quanto as demandas da empresa para encontrar as medidas necessárias.

No setor da construção civil, por exemplo, os levantamentos indicam um comprometimento nas atividades até o mês de agosto. “A pandemia afetou gravemente este setor, principalmente no mês de março, com dispensa de funcionários e redução da produção. Hoje, a situação é diferente, com uma busca maior de produtos e uma necessidade de oferta ainda maior”, ressaltou Simplício Araújo.

Já no diálogo com empresários do ramo cerâmico, foram identificadas dificuldades relacionadas aos custos de produção e impactos nos lucros das empresas.

Simplício Araújo ressalta que a Seinc está empenhada em buscar soluções para regularizar a produção de ambos os setores. “Em ambas as reuniões, reforçamos a importância de conversar de forma franca, transparente e ouvir atentamente cada empresário. O Governo do Maranhão seguirá sua agenda em identificar as melhores ações para ajudar os segmentos empresariais no combate à esta crise sanitária e, também, econômica”, finalizou.

Simplício Araújo se prontificou a buscar soluções para a reposição de estoques de matérias primas, interferindo junto ao Porto do Itaqui, para agilizar desembarques, e junto aos órgãos estaduais para qualquer outra necessidade.

Comentários

Comentários