Semana Estadual de Políticas Sobre Drogas termina com saldo positivo

“Um olhar sobre as drogas e o novo ‘normal’”. Este foi o tema da Semana Estadual de Políticas Sobre Drogas, realizada de 19 a 26 de junho. Durante uma semana, diversas lives foram realizadas em várias plataformas digitais – Instagram, Facebook, Youtube – onde foram discutidos temas relacionados à prevenção, ao tratamento de dependentes químicos e à repressão da oferta de entorpecentes no Estado, com foco na realidade pós-pandemia.

A semana foi organizada pelo Fórum Estadual de Políticas Sobre Drogas, que reúne representantes da sociedade civil e do poder público, com apoio do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas, Ministério Público e Governo do Maranhão.  

Nesta sexta-feira (26), o secretário de Estado de Políticas Públicas, Marcos Pacheco, participou de uma live com Dudu Ribeiro, historiador, especialista em Gestão Estratégica de Políticas Públicas e coordenador da Iniciativa negra por uma nova política sobre drogas, da Bahia. Márcio Menezes, psicólogo, superintendente de Atenção Primária e Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e presidente do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas (CEPD), foi o moderador. Durante mais de uma hora, eles conversaram sobre a realidade das drogas no Brasil e como esse problema de saúde pública poderá ser enfrentado a partir de agora, pós-pandemia do Covid-19 e responderam perguntas dos internautas. 

O secretário Marcos Pacheco destacou que o problema das drogas é multidimensional, pois são várias frentes que precisam ser trabalhadas. Disse que é fundamental ir pra dentro das escolas, já que a drogadição está em processo de infantilização e por isso é um tema que também precisa ser muito trabalhado nas escolas pois é um dos espaços mais potentes para isso. “Não tem como resolver esse problema das drogas com uma receita de bolo. Temos que ter humildade intelectual e técnica para isso, e lembrar que existem, pelo menos, quatro dimensões: saúde, educação, segurança pública e assistência social”, disse, durante a live, o secretário. 

Convidado pelo CEPD para a live de encerramento, o historiador Dudu Ribeiro iniciou sua participação fazendo um retrospecto da política de drogas no país, de como se chegou a essa situação de hoje, os efeitos para a população brasileira e como isso deve ser abordado em uma sociedade pós-pandemia. “Esse processo de novo normal não é fazer um reset e voltar para o início de 2020 ou 2019. Na verdade, a gente tem que construir uma outra perspectiva de sociedade, de acesso à renda e aproveitar esse cenário tão traumático e sofrido para pensar perspectivas que superem o que a gente tinha como antigo normal”, pontuou Dudu Ribeiro. 

“Em função da pandemia tivemos que nos reinventar e não deixar passar em branco a semana que trata de um tema tão sensível para a sociedade. Durante sete dias falamos sobre os retrocessos em nível nacional e avanços da política de drogas aqui no Maranhão, principalmente no que diz respeito à reconfiguração do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas, em 2016 e também do Fórum Estadual de Políticas Sobre Drogas, com participação efetiva da sociedade civil e de instituições governamentais”, destacou o presidente do CEPD, Márcio Menezes.

Fórum Estadual de Políticas Sobre Drogas

Instituído em fevereiro de 2017, o Fórum é composto por membros do Governo do Estado, prefeituras da grande ilha, Ministério Público e diversas entidades da Sociedade Civil, como igrejas, Comunidades Terapêuticas, Conselhos Tutelares, entre outras. Durante este tempo muitas conquistas foram alcançadas, como: instituição do Termo de Colaboração do Governo do Estado com Organizações da Sociedade Civil / Comunidades Terapêuticas, que destina repasses financeiros a essas entidades para auxiliar nas despesas com tratamento de dependentes químicos; Mobilização para instituição e funcionamento dos Conselhos Escolares Sobre Drogas em todas as escolas do Governo do Estado. 

Atualmente, mais de 400 escolas já possuem Conselho; Plano Estadual de Políticas Sobre Drogas que está em andamento. A previsão é que seja entregue e aprovado pelo CEPD até o fim do ano.

Apreensões de drogas

Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), a droga mais apreendida no Maranhão é a maconha. Em 2019, foram apreendidos 2.038 quilos da droga. Em todo o ano de 2018 foram 1.716 quilos. Em seguida vem a cocaína com 34,90 quilos apreendidos em 2019, ao passo que em 2018 foram 23,35 quilos. 

Ainda de acordo com a SSP, o crack e a pasta base são os outros tipos de drogas mais apreendidos no estado. Somados, chegam a mais de 100 quilos apreendidos em 2019.

Comentários

Comentários