Máscaras de proteção feitas por internos do sistema prisional serão doadas a alunos da rede estadual de ensino

Solenidade em que a SEAP entrega à Seduc as máscaras de proteção produzidas pelos detentos (Foto: Clayton Monteles)

Máscaras de proteção, produzidas por internos do sistema prisional do Maranhão, serão doadas para mais de 300 mil alunos e profissionais da rede estadual de ensino. A iniciativa, resultado de parceria entre as Secretarias de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) e de Educação (Seduc), irá beneficiar cerca de mil escolas estaduais. 

A previsão é que as máscaras sejam entregues aos estudantes e profissionais da educação a partir de agosto, mês previsto para que as aulas presenciais recomecem. Durante as aulas, as escolas deverão seguir os protocolos de segurança de acordo com as organizações de saúde, e uma das medidas é o uso de máscaras pelos estudantes e profissionais.

Nesta semana, o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Murilo Andrade de Oliveira, realizou a entrega simbólica das máscaras de proteção ao secretário da Seduc, Felipe Camarão. No total, serão mais de 1 milhão de máscaras, feitas com utilização da mão de obra carcerária, entregues à rede estadual de educação.   

“A Seduc já tem sido parceira da SEAP em diversas ações com foco em beneficiar não somente a população, mas também os internos do sistema prisional. E, hoje, formalizamos mais essa iniciativa conjunta de valorização da pessoa presa que busca mostrar o quanto a mão de obra carcerária tem sido útil à população”, afirma o secretário Murilo Andrade.

O secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão, falou sobre a importante parceria com a SEAP e o quanto esta tem contribuído para a reintegração social das Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) no Maranhão.

Interna da UPFEM trabalha na confecção de máscaras de tecido (Foto: Clayton Monteles)

“Contar com a parceria da SEAP só engrandece as ações da educação no estado, pois a secretaria executa um trabalho primoroso e, a cada novo momento, se reinventa. Já temos parceria na reforma de escolas, faróis, pavimentação de ruas, produção de fardamentos e, agora, mais essa novidade, que é a produção de máscaras de proteção que serão doadas para as comunidades escolares quando retornarmos as aulas presenciais em nossas escolas”, Felipe Camarão.

Produção

Desde abril, mais de 300 detentos do sistema prisional do Maranhão trabalham na confecção de máscaras de proteção. A meta de produção diária é de cerca de 30 mil máscaras. O trabalho acontece nas 5 malharias instaladas no Complexo Penitenciário de São Luís.

Comentários

Comentários