AGED E PRF apreendem 3 mil quilos de queijo sem procedência

O material estava no fundo falso de um caminhão e transportado sem refrigeração 

Durante fiscalização de rotina, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Peritoró identificou o transporte clandestino de queijo e acionou o apoio das Unidades Regionais da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) de Codó e Pedreiras para apreensão e inutilização da carga. Foram encontrados 3 mil quilos de queijo que estavam no fundo falso de um caminhão e transportados sem refrigeração. 

A carga estava acondicionada em embalagens recicladas de produtos diversos como sacos de farinha de trigo, de açúcar e até de ração. Os policiais rodoviários e fiscais estaduais agropecuários da AGED apuraram que a carga havia saído do município de Buriticupu com destino a Teresina, capital do Piauí, quando foi barrada no posto fixo da PRF em Peritoró. 

Ao constatarem que a quantidade de queijo não possuía nenhuma procedência e nem garantia alguma da qualidade – pois não foram encontrados com a mercadoria o selo de inspeção, nenhuma documentação, além do transporte totalmente irregular do queijo -, os fiscais da AGED lavraram o auto de infração e o termo de apreensão e inutilização da carga.

A ação conjunta entre a AGED e a PRF descartou o queijo clandestino, incinerando a carga e impedindo que o produto chegasse à população, evitando danos à saúde da população. A diretora geral da AGED/MA, Fabiola Ewerton agradeceu o apoio das Unidades Regionais (UR) de Pedreiras e Codó que, prontamente, foram auxiliar a ação de fiscalização da PRF de  Peritoró. 

“A PRF de Peritoró sempre tem um olhar de zelo para as questões sanitárias e, com certeza, isso é resultado do convívio com a nossa equipe. Juntos, conseguimos fazer muito mais. Evitamos que a mercadoria trouxesse danos à saúde dos consumidores e quero parabenizar o empenho e excelente trabalho realizado em equipe”, ressaltou. 

Participaram da ação conjunta com a PRF, o gestor da UR de Pedreiras, Roberth de Caravalho, e os fiscais estaduais agropecuários, Humberto, Márcio Marciel, Viramy e João Gabriel.

Comentários

Comentários