Socioeducandas da Funac aprendem a confeccionar lingeries em curso oferecido pelo IEMA

Socioeducandas aprendem todas as etapas de confecção de peças íntimas (Foto: Jeferson Stader)

Da teoria à prática, socioeducandas da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) aprendem a confeccionar calcinhas, sutiã, babydolls e camisolas em mais um curso oferecido pelo Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), no Centro Socioeducativo Florescer, no bairro do Anil. Além de conhecimentos, as adolescentes ganham também perspectivas de trabalho quando deixarem o Centro.

“Durante as aulas, eu descobri que tenho talento para corte e costura. Estou muito feliz com o incentivo que recebi aqui e pretendo seguir essa vocação lá fora, quando deixar o Centro”, relatou entusiasmada uma das socioeducandas que faz o curso de confecção de lingerie.

O objetivo do curso é exatamente esse, destaca a diretora do Centro Socioeducativo, Miriam Machado. “Buscamos proporcionar qualificação profissional para essas adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, dentro da perspectiva do eixo de profissionalização, para que ao final da medida possam se inserir no mercado de trabalho ou optar pela via do empreendedorismo”, ressaltou.

As aulas contam também com a participação de moradores da comunidade onde está localizada a unidade de ressocialização. Além de oferecer formação a essas pessoas, é uma oportunidade para que conheçam o trabalho realizado nas unidades, desmistificando preconceitos.

“Algumas pessoas costumam ter um entendimento totalmente diferente da realidade dos centros socioeducativos. Integrando-as ao processo, elas passam a conhecer melhor o nosso trabalho, e as diversas ações que são realizadas aqui”, complementou a diretora.

O objetivo do curso é levar qualificação profissional para as socioeducandas (Foto: Jeferson Stader)

Desde 2018, a Funac conta com a parceria do IEMA na oferta de cursos profissionalizantes a adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, nas áreas de informática básica, pintor de obras, encanador, montagem e manutenção de computadores, manutenção de ar-condicionado, montagem e adequação de espaços net, manicure e pedicure (acrigel) e designer de sobrancelhas, entre outros.

São cursos escolhidos pelos próprios adolescentes a partir das suas aptidões e interesses, voltados às suas realidades e com perspectivas de aplicação após o cumprimento da medida. Isso garante maior engajamento e participação nas aulas.

“A partir do termo de cooperação técnica com o IEMA, conseguimos realizar mais de 350 formações em todos os centros socioeducativos, em 2018; e em 2019, fechamos o ano com quase 1300 certificações”, destacou o chefe da Assessoria de Planejamento da Funac, Nikson Daniel.

Comentários

Comentários