Maranhão tem aumento de 200% em parcerias para inserir pessoas presas em frentes de trabalho

Detentos trabalham na marcenaria produzindo carteiras escolares (Foto: Clayton Monteles)

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), firmou, em 2019, um total de 18 convênios com empresas, secretarias e prefeituras para inserir detentos em ações de trabalho. Esse número representa um aumento de 200% quando comparado com 2018, onde teve apenas 6 parcerias fechadas.

Na quarta-feira (8), mais 63 internos foram integrados a ações de trabalho, por meio de parceria da SEAP formalizada com a Prefeitura de Matinha, resultando, assim, no aproveitamento da mão de obra carcerária para a fabricação de cerca de 300 cadeiras escolares e blocos de concreto para pavimentação de ruas.

“Em 2019, alcançamos o objetivo de expandir as parcerias entre o Governo do Estado e as instituições públicas que acreditam na nossa proposta, que é de ressocializar os internos através de ações que oportunizem a qualificação profissional”, afirmam o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Murilo Andrade.

Detento trabalha na revitalização de escola pública (Foto: Clayton Monteles)

Com estes 18 convênios, a SEAP, em apenas um ano, aumentou três vezes o número de internos que efetivamente trabalham. Em 2019 foram 216 presos inseridos em uma das 14 frentes de trabalho, o que corresponde ao aumento de 332% de custodiados executando alguma atividade laboral, tendo em vista que o ano de 2018 fechou com o total de 50 custodiados trabalhando.

Trabalho com Dignidade

O Programa Trabalho com Dignidade é uma iniciativa da SEAP que tem como principal meta a ressocialização do detento por meio capacitação e profissionalização. Eles trabalham em serviços como fabricação de blocos de concreto para pavimentação de ruas, com redução dos custos em mais de 35% em comparação ao valor praticado no mercado.

Outra economia, de mais de 30% de custos, é na revitalização de espaços públicos, como escolas e praças, com serviços de pintura, calçamento, alvenaria, instalações elétrica e hidráulica, capina, retelhamento e jardinagem. Na fabricação de móveis planejados para mobiliar ambientes de escritório, o corte de gastos é em torno de 64% por cada móvel produzido.

Comentários

Comentários