Mais de 5 milhões de atendimentos foram realizados nas UPAs gerenciadas pelo Estado

A dona de casa Magnólia Araújo Marques acompanha o marido Saturnino Ribeiro Marques na unidade (Foto: Márcio Sampaio)

A Rede de Atenção às Urgências no Maranhão conta com 10 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) gerenciadas pelo Governo do Estado, localizadas na capital e no interior. Responsáveis pelos atendimentos de saúde de complexidade intermediária, as unidades funcionam 24 horas por dia. Em 2019, as UPAs realizaram mais de 5 milhões de atendimentos e procedimentos.

“A UPA, assim como as unidades básicas, acaba fazendo o ordenamento do fluxo de atendimento na rede de saúde. Por atender casos que precisam de respostas mais rápidas, urgências e quadros agudos de início súbito, a unidade faz um filtro do que precisa ser encaminhado para a alta complexidade, diminuindo a procura pelos hospitais. Sabemos dessa importância, por isso o alto investimento que fazemos nesse componente”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

São da rede estadual as UPAs Itaqui-Bacanga, Parque Vitória, Aracagi, Vinhais, Cidade Operária, Coroatá, Timon, Imperatriz, Codó e São João dos Patos. Juntas, elas têm um custo mensal de R$ 16,4 milhões, dos quais R$ 12,7 milhões são dos recursos próprios do Governo do Maranhão. No total, elas fizeram 5.536.211 atendimentos e procedimentos, até setembro deste ano.

A dona de casa Magnólia Araújo Marques, de 53 anos, acompanha o marido Saturnino Ribeiro Marques, de 56 anos, que está internado na sala amarela da UPA Araçagi. Vítima de acidente vascular cerebral (AVC), ele recebeu os atendimentos imediatos na unidade, o que lhe garantiu a vida.

“O atendimento dele foi muito rápido. Na hora que ele chegou foi logo atendido. Foi muito bom, salvou a vida do meu marido. A família toda está contente com o atendimento. Não conhecia aqui, foi a primeira vez que precisou internar. As pessoas atendem a gente super bem, não tenho nada do que reclamar”, afirma.

Reforma e avaliação

Uma pesquisa de satisfação, no primeiro semestre, avaliou o atendimento de algumas UPAs na capital. Constatou-se que 61,9% consideram ótimo/bom o atendimento recebido nas UPAs localizadas em São Luís; já 69,2% aprovam o atendimento da UPA do Araçagi; 67,5% consideram ótimo/bom o atendimento na UPA do Vinhais; e 58,6% aprovam a UPA da Cidade Operária.

Para garantir o atendimento de qualidade, o Governo tem investido na capacitação das equipes. Além disso, as UPAs Itaqui-Bacanga, Araçagi, Cidade Operária, Parque Vitória e Vinhais, atualmente, recebem obras de reforma, que incluem pintura, revisão elétrica, revisão hidráulica e sanitária, reparos e/ou troca de esquadrias, reparos em alvenarias, divisórias e revestimentos, reparos em forros, dentre outros.

Segundo o médico André Rossanno, diretor clínico da UPA Araçagi, as unidades de pronto atendimento têm um papel importante em inserir o paciente da rede de assistência em saúde, atendendo as demandas no local ou encaminhando para o serviço necessário.

“Muitos pacientes procuram a UPA para um atendimento que é ambulatorial, ele não deixa de ser atendido. Ele recebe o encaminhamento e é direcionado para outros serviços ambulatoriais. As UPAs são, também, a conexão com os grandes hospitais. Essa é a principal satisfação da população, é um serviço que é para todos”, avaliou.

Saiba Mais

– A UPA presta o primeiro atendimento aos casos emergenciais, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, definindo, em todos os casos, a necessidade ou não de encaminhamento a serviços hospitalares de maior complexidade.

– O atendimento não é feito por ordem de chegada, mas sim de acordo com a classificação de risco do paciente, baseada em protocolos internacionais.

– A UPA compõe a Rede de Atenção às Urgências, uma rede organizada em conjunto com a atenção básica, atenção hospitalar, atenção domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192.

Comentários

Comentários