Emoção e agradecimento marcam entrega de Escola Digna à comunidade quilombola, em Presidente Vargas

Comunidade do Quilombo Sapucaial, em Presidente Vargas comemorou a entrega da Escola Digna que beneficiará mais de 200 crianças (Foto: Divulgação)

Uma grande festa, sob os comandos da Banda Marcial Antônio Aguiar Barbosa (BAMAB) e do Tambor de Crioula Vila São Pedro, abriu a cerimônia de inauguração da Escola Municipal Quilombola de Ensino Fundamental Paulo José Lisboa. A solenidade aconteceu nesta sexta-feira (29), na Comunidade Quilombola Sapucaial, localizada no município de Presidente Vargas.

Na ocasião, os representantes legais assinaram o decreto que alterou o nome da Escola Municipal Costa e Silva para Escola Municipal Quilombola de Ensino Fundamental Paulo José Lisboa. O nome é uma homenagem ao fundador da comunidade.

A gestora Maria Moraes dos Santos se emocionou durante a solenidade de inauguração e, em tom de desabafo, revelou que, no passado, algumas pessoas da comunidade diziam que o prédio escolar não seria construído.

“Essa escola é o caminho do desenvolvimento, é o projeto de vida para as crianças. Antes, eu vivia muito triste, porque ouvia alguém dizer que esta escola nunca seria construída. Hoje, apresento a nossa escola digna para todos, mas principalmente para as pessoas que não acreditavam na construção deste prédio. Aqui está o nosso patrimônio, aproveitem”, desabafou.

Na oportunidade, a gestora agradeceu ao Governo do Estado e autoridades do município. “Agradeço, primeiramente, a Deus; ao governador Flávio Dino; ao secretário de Educação do Estado, Felipe Camarão; ao prefeito, Wellinton Costa Uchoa e, também, ao secretário de Educação do Município, Hilton César Neves da Silva, pela realização desse sonho. A Comunidade Quilombola Sapucaial está muito feliz, muito obrigado”, finalizou.

Novo prédio da Escola Municipal Quilombola de Ensino Fundamental Paulo José Lisboa (Foto: Divulgação)

O novo prédio escolar, que substituiu uma estrutura antiga e inadequada para a prática do ensino, recebeu investimentos na ordem de R$ 374.595,56. A nova escola possui 4 salas de aula, sala da diretoria, cozinha, banheiros e pátio interno, oferecendo mais conforto aos 220 estudantes da comunidade e dos povoados vizinhos.

Representando o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, a secretária adjunta de educação, Nádya Dutra, ressaltou a importância da parceria entre o Governo do Estado e municípios para o fortalecimento da aprendizagem.

“O governador Flávio Dino sempre demonstrou a sua alegria quando inaugura escolas no Maranhão, em especial, escolas para as crianças. É nesta fase que começa a história do nosso Estado. Escola é reunião de pessoas com o propósito de garantir um futuro digno para todo o cidadão. O Governo tem oferecido educação digna, por meio de parcerias, garantindo espaços dignos de trabalho para que a comunidade usufrua”, afirmou.

“Eu estou feliz, porque cinco filhos meus irão estudar nessa escola. Eu não tive a oportunidade de frequentar um colégio deste. Eu agradeço ao Governo do Estado por trazer para a nossa comunidade uma escola tão confortável e bonita”, comemorou o morador da Comunidade Quilombola Sapucaial, Francisco Ribeiro da Silva.

Muita festa para receber a Escola Municipal Quilombola de Ensino Fundamental Paulo José Lisboa (Foto: Divulgação)

O professor do 4º ano do Ensino Fundamental Menor, Antônio Israel Amorim, assegurou que uma escola digna também deve conter uma estrutura física adequada para melhorar o desempenho educacional dos estudantes.

“Um ambiente com infraestrutura adequada e aconchegante é bem melhor para os alunos aprenderem. Estamos muitos felizes por receber essa escola, realmente ela faz jus ao seu nome de Escola Digna. Iremos construir uma educação de qualidade, porque estamos em um espaço que nos faz querer aprender, estudar e ensinar os alunos com mais vontade. Eu agradeço ao Governo do Estado e ao Governo Municipal por esse projeto que hoje se consolida em nossa comunidade”, afirmou.

“Que a partir da experiência de cada sala de aula, da vivência que a gente tem aqui, do rufar de tambores desta comunidade, que a gente vivenciou, as crianças possam aprender com o pertencimento da sua cultura, dizendo: sou quilombola, sou negro, sou descendente afro e tenho muito orgulho do que sou e que, através da aprendizagem, as crianças, com direito garantido e com acesso à cidadania plena, possam enfrentar as diversidades da sociedade”, expressou a assessora especial do Governo, Laurinda Pinto.

Comentários

Comentários