Entrega gratuita de cadeira de rodas dá mais independência e dignidade a maranhenses

Maria José agora tem mais mobilidade

Com apenas oito anos, Maria José Borges sofreu um acidente que marcaria sua vida. Após sofrer uma queda, ela foi diagnosticada com paralisia infantil. Desde então, teve que se adaptar ao uso de muletas para a locomoção. Só agora, com 56 anos, ela conseguiu adquirir a sua primeira cadeira de rodas. Em outubro deste ano, dona Maria José foi uma das primeiras pessoas contempladas com a entrega de cadeiras de rodas a crianças, adultos e população indígena maranhenses.

Atendendo a uma solicitação da Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência (CEPD), o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), iniciou a entrega de 1.000 cadeiras como a que dona Maria José ganhou.

Moradora do bairro Tirirical, em São Luís, dona Maria José conta que não tinha condições de adquirir uma cadeira de rodas no momento. E o benefício veio na hora certa. Ela diz que, além da dificuldade derivada da paralisia infantil, sua locomoção piorou com o surgimento de um problema renal crônico e com as saídas obrigatórias às sessões de hemodiálise.

“Depois da hemodiálise, eu fico fraca e não consigo andar. [A cadeira] veio na hora certa. Eu ando de muletas desde os nove anos. Isso é muito bom porque tem muita gente que precisa, mas não tem condições. Eu acho maravilho esse benefício, gostei demais de ter ganhado essa cadeira”, disse.

Para ir às consultas e terapias semanais, dona Maria José já contava com a van de acessibilidade do Travessia, serviço estadual gratuito destinado ao deslocamento de pessoas com mobilidade reduzida. Mas ela ainda não tinha uma cadeira de rodas própria. Ela elogiou as ações que vêm sendo desenvolvidas para garantir a mobilidade de pessoas com deficiência no Maranhão.

“Eu estava com uma emprestada. Foi muito bom. O Governo tá fazendo uma coisa muito boa. O Travessia buscando a gente em casa e deixando. Eu agradeço de coração”, parabenizou.

Renato e Marinalva agora têm um dia a dia menos complicado (Nael Reis)

“Depois da cadeira, melhorou 100%”

O pedreiro aposentado Renato Ferreira de Souza também foi um dos contemplados com uma cadeira de rodas.

Diabético há mais de 30 anos, seu Renato convivia com a doença, sem grandes alterações na sua rotina de vida, até que em 2014 foi identificada a presença de um câncer na próstata. Nesse período, ele ficou sem trabalhar e o nível de glicemia só cresceu.

Com o avanço do quadro diabético, o que parecia ser uma simples ferida era na verdade uma complicada infecção. A única saída encontrada pelos médicos foi a amputação do seu pé e de metade da perna direita.

Em maio de 2019, foi realizada a operação que lhe retirou metade de um dos membros inferiores. Até receber a cadeira de rodas, seu Renato dobrava esforço para se locomover com uma muleta, já que não tinha recursos para aquisição de uma cadeira de roda.

“Eu andava de muleta, que fazia muito mal para minha coluna. Eu cheguei a cair duas vezes e não tinha como comprar uma cadeira. Graças a Deus surgiu essa oportunidade”, disse.

Apesar da perda, com a cadeira sua vida mudou. “Depois da cadeira, melhorou 100% do que eu estava vivendo. Eu posso me locomover bem dentro e fora de casa, ir ao banheiro sem ninguém me ajudar, ir na pia lavar minhas mãos, ir para mesa almoçar, tudo normalmente”, comemorou seu Renato.

Companheira de 40 anos de casamento, Marinalva Costa Souza avalia que a entrega das cadeiras de rodas “ajuda aos necessitados”.

“Depois da cadeira, mudou muito. Meus filhos que carregavam ele. Fiquei muito feliz e até chorei. Doeu muito ver ele nessa situação, agora dói menos”, afirmou.

Equipamento

Construídas em aço carbono, as cadeiras de rodas possuem estrutura dobrável em forma de “X”, com eixos de aço reforçado e sistema de desmontagem rápida nas rodas traseiras. Elas contam, ainda, com apoios para os braços e pés escamoteáveis e removíveis, com opção de ajuste na altura.

O Governo do Maranhão está estudando uma nova data de entrega de uma nova leva de cadeiras de rodas, dentre as 1.000 que serão entregues nos próximos meses.

Comentários

Comentários