CER Olho d’Água faz programação alusiva ao Dia das Crianças

CER Olho d’Água celebra Dia das Crianças (Foto: Wélida Nunes)

Entre brincadeiras e jogos, o Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde do Olho d’Água promoveu, nesta quarta-feira (9), em São Luís, atividades alusivas ao Dia das Crianças. Participaram das atividades crianças assistidas no serviço da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e seus familiares.

A diretora administrativa do CER Olho d’Água, Ana Eugênia Araújo Furtado, disse que a programação infantil proporcionou mais uma ação integrativa com cerca de 200 crianças. “Esse é um momento de confraternização e de alegria. As crianças colocam em prática a terapia que eles fazem no consultório. Estamos com todos os grupos de crianças, com todas as patologias, brincando junto, interagindo e aprendendo a lidar com a tolerância e limitação de cada uma”, destacou.

Eleildes Duarte Diniz, mãe de Manuele Diniz, de 8 anos, diz que a filha completou três anos de assistência no CER Olho d’Água. Segundo a mãe, a criança diagnosticada com paralisia cerebral recebe o acompanhamento e estímulos necessários da equipe. “A minha filha melhorou muito na fala, na marcha dela, na força muscular, e sobretudo ela gosta muito de estar aqui, apesar da timidez com as outras crianças”, disse.

Família de Reinara Araújo participa da ação alusiva ao Dia das Crianças (Foto: Wélida Nunes)

A evolução do filho foi comemorada por Daniele Sousa, mãe do João Nicolas Sousa, de 7 anos. A criança é assistida no serviço semi-intensivo para Pessoas com Transtorno do Espectro Autismo (TEA). O objetivo é desenvolver habilidades sociais e de linguagem em crianças de até 12 anos com TEA, além de capacitar familiares no desenvolvimento e assistência a esses pacientes. “Meu filho evolui muito. Ele era muito apático, não sabia nem dar tchau. Comportado, sentado, tolerando o barulho, as outras crianças. Isso é um avanço muito grande para gente”, disse.

A equipe multidisciplinar da unidade fez o acompanhamento das crianças. “A atividade ajuda na socialização do aprendizado, da consciência corporal do seu espaço e do espaço das outras crianças. Assim como conviver e tolerar as outras crianças, sons e texturas”, explicou terapeuta ocupacional e supervisora da Terapia Ocupacional do CER Olho d’Água, Êunia Abreu.

Reinara Karina Araújo disse que a comemoração promoveu atividades integrativas. Entre os três filhos, Luís Henrique faz tratamento no serviço especializado para pessoas com TEA.

“Ele melhorou muito na questão da socialização em casa. Anteriormente, ele era muito isolado com os irmãos.  Agora interage bastante com eles, mas com outras pessoas ainda tem essa dificuldade. Aproveitei e trouxe eles para brincarem aqui”, contou.

Comentários

Comentários