Alunos da Rede Estadual de Ensino participam de evento sobre Adoecimento Emocional

Estudantes da rede estadual participam de palestra sobre prevenção ao suicídio (Foto: Lauro Vasconcelos)

O I Seminário de Prevenção do Adoecimento Emocional, realizado no Centro de Criatividade Odylo Costa Filho reuniu, aproximadamente, 500 estudantes das escolas da Rede Estadual de Ensino, nesta terça-feira (10). O evento, que faz parte da programação do Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio, foi organizado pelo Fórum Estadual de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, por meio da “Campanha Rede do Bem: Estamos Aqui Para Ajudar”, promovida pelo Centro de Apoio Operacional (CAOP) do Ministério Público.

“Esse evento é muito importante, porque procura conscientizar as pessoas em relação ao suicídio e isso tem acontecido muito hoje em dia, principalmente entre os jovens. Então, o seminário realizado aqui no Odylo vem justamente mostrar para nós, jovens, pais e professores, como entender melhor esse problema que vem causando grandes perdas às famílias”, afirmou a estudante Izabela Karine Privado, 19 anos, do Centro de Ensino Vicente Maia.

Estudantes apresentam peça teatral sobre prevenção ao suicídio (Foto: Lauro Vasconcelos)

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) mediou a roda de conversa intitulada Educação e Saúde – Possibilidades de Cuidado em Saúde Mental, com o professor José de Arimatéa Vieira da Conceição, coordenador de Políticas de Prevenção às Drogas na Rede.

“Estamos realizando rodas de conversa e outras atividades, que são ações pertencentes ao Fórum, do qual a Seduc é membro e participa ativamente, fazendo esse trabalho de prevenção em nosso espaço escolar. Na roda de conversa, tivemos representantes da Secretaria de Estado da Saúde, do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e de outras instituições que abordaram essa interface da prevenção junto aos educadores para que eles tivessem o esclarecimento e pudessem trabalhar com os adolescentes no espaço escolar”, explicou José de Arimatéa.

José de Arimatéa destaca ações de prevenção ao suicídio nas escolas (Foto: Lauro Vasconcelos)

Liziane Castro, diretora Geral do CAPS Infantil, revelou que o debate com os adolescentes é muito importante porque os números de suicídios e automutilação aumentaram muito entre os jovens. “Hoje nós estamos aqui debatendo com as escolas para que possamos levar uma educação socioemocional na vida desses adolescentes”, explicou. Ela acrescentou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos de idade é o suicídio. “Nós estamos aqui para ajudar e pedir que os adolescentes participem, tirem suas dúvidas. A escola pode contribuir observando o isolamento contínuo de estudantes em seus espaços e, a partir daí, estabelecer um diálogo com eles e se preciso for, buscar ajuda com um profissional”, concluiu.

“Em sala de aula, o educador também lida com questões do ponto de vista emocional dos seus estudantes. A disfunção familiar, o fator de automutilação e as tentativas de suicídios se fazem muito presentes nas escolas nos dias de hoje. Um dos nossos focos aqui foi falar sobre essa temática para os estudantes, mostrando a importância do assunto para auxiliar na luta contra esse mal”, considerou a psicóloga Claudia de Castro.

Comentários

Comentários