Centros Socioeducativos da Funac investem em projetos de leitura e produção textual

Socioeducandos da Funac conhecem as ações do projeto Máquina de Livros (Foto: Priscilla Swaze)

Os Centros Socioeducativos da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), com o objetivo de fortalecer o processo de escolarização, por meio do incentivo ao hábito da leitura e melhorar a escrita dos socioeducandos, realizaram atividades diferenciadas como oficinas de poesia, visitas em centros culturais e projetos de troca de livros, recentemente.

Em Imperatriz, os adolescentes do Centro Socioeducativo de Semiliberdade Cidadã conheceram as ações do Projeto Máquina de Livros, uma iniciativa da Infinito Cultural, agência catalisadora de articulação cultural, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL). A Máquina de Livros consiste na troca voluntária das obras. Assim, os adolescentes levaram suas publicações, que receberam por meio de doações, e trocaram por outros exemplares.

A atividade oportunizou também aos socioeducandos conhecerem um pouco da cultura da cidade, por meio da visita ao Centro de Artesanatos e da Academia Imperatrizense de Letras. “Mais que um livro, eu recebi foi conhecimento sobre a leitura e aprendi um pouco mais sobre o artesanato”, disse um dos adolescentes que participou da ação.

De acordo com a coordenadora técnica, Janaína Pimenta, a unidade está desenvolvendo um projeto de leitura, com o objetivo de despertar nos adolescentes o desejo pelos livros. A visita ao projeto e aos centros foram algumas das ações já realizadas.

“Considerando a perspectiva de fortalecer o eixo da cidadania no processo da medida socioeducativa dos adolescentes, estas ações são estratégias para o melhor desenvolvimento deles na escolarização, assim como o incentivo ao hábito da leitura e possibilitar a convivência social e cultural”, explicou a coordenadora. “E nas atividades, os adolescentes se interessaram e participaram de forma satisfatória, interagindo com os artistas e expositores“, acrescentou Janaína Pimenta.

No mesmo intuito, o Centro Socioeducativo Sítio Nova Vida, em Paço do Lumiar, iniciou as atividades da oficina de produção textual e criativa com os adolescentes e o escritor Thiago Di Boque. A ideia é que os socioeducandos possam aprender a se expressar pela escrita, ilustrações e artes em geral.

Um dos adolescentes participantes ressaltou que foi a primeira vez que participou de atividade com foco na poesia. “Eu gostei de conhecer mais as palavras e de entender que o desenho também pode ser uma forma de expressão”, comentou.

“Essa oficina foi um primeiro passo, e espero que possamos despertar e empoderar novos talentos desses adolescentes. É preciso que eles aprendam a expressar o que sentem”, falou o escritor Thiago Di Boque.

Além dessas iniciativas, a Funac, em articulação com o Ministério Público e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), implantará, em breve, o Projeto Voz e Poesia, uma série de oficinas que serão feitas para estimular a expressividade dos adolescentes.

Comentários

Comentários