Com bolsas de estudo, Maranhão financia pesquisas para curar doenças e desenvolver robôs

Gerliane é pioneira no estudo de robótica no Maranhão (Foto: Arquivo pessoal)

O professor doutor de neurofisiologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Bruno Araújo Serra Pinto, desenvolve uma pesquisa interessante: ao lado de outros colegas pesquisadores da UFMA, descobriu quais os mecanismos responsáveis pelo desenvolvimento de doenças relacionadas à demência senil em ratos, que consomem sacarose (açúcar), desde a infância. O estudo é importante para encontrar tratamento e prevenção de enfermidades como o mal de Alzheimer em humanos.

Já a graduanda em Engenharia Elétrica Gerliane da Silva Chaves, do IFMA Campus Imperatriz, é pioneira no estudo de robótica no Maranhão, ganhando diversos prêmios fora do Estado. Bruno e Gerliane têm em comum o financiamento de suas pesquisas por meio de editais lançados pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema).

“Tive a oportunidade de receber o apoio da Fapema, tanto no mestrado quanto no doutorado, disputando diversos editais. Na verdade, dentro do nosso laboratório, aqui na UFMA, temos recebido esse suporte que é essencial para a manutenção da pesquisa dentro da própria universidade como um todo. Essa entidade de fomento é fundamental para o desenvolvimento dessas pesquisas, ainda mais neste período de crise”, explica o professor Bruno Pinto ao detalhar a importância da Fapema, num momento em que o país enfrenta fortes cortes orçamentários na área.

A estudante Gerliane Chaves pensa da mesma forma. Ganhadora do Prêmio Fapema Neiva Moreira, em 2017, na categoria Desenvolvimento Humano, ela ressalta que só pôde continuar a carreira acadêmica e a pesquisa em robótica graças ao apoio da Fundação. “Percebo, sobretudo para quem está na graduação, que a bolsa acaba sendo um meio com o qual o aluno consegue se manter na vida acadêmica. Se eu não tivesse esse recurso da bolsa, eu não conseguiria frequentar a instituição e muito menos desenvolver a pesquisa”, revela.

Bruno Araújo pesquisa tratamento contra o Alzheimer (Foto: Arquivo pessoal)

Para manter o apoio à qualificação de docentes e pesquisadores, a Fapema abriu editais que garantem o desenvolvimento de pesquisas no país e fora dele, além do incentivo à realização de eventos, publicação de pesquisas e auxílio a linhas de estudo relacionadas a temas estratégicos para o desenvolvimento do estado, bem como superação das desigualdades.

“O governador Flávio Dino dedica atenção especial ao financiamento de editais, priorizando o fomento à pesquisa, na perspectiva de que o desenvolvimento científico garante também progresso social e econômico”, diz o presidente da Fapema, André Luís Silva dos Santos.

Ajuda em momento de crise 

Com a crise econômica nacional, o País enfrenta a redução de financiamento da pesquisa científica. Para o professor Bruno Araújo Serra Pinto, no entanto, o Maranhão se destaca no cenário nacional, garantindo o apoio aos pesquisadores. “Tenho contato com pesquisadores de outras unidades da federação. As entidades e fundações de pesquisa desses estados estão em situação muito difícil. Nós aqui no Maranhão, mesmo com toda a dificuldade, estamos conseguindo manter a pesquisa, já que a Fapema consegue abrir editais, todos os anos. Em outros estados, a situação é realmente terrível”, diz.

Para Nigel da Silva Lima, vencedor do prêmio Fapema Neiva Moreira 2017 na categoria Jovem Cientista, a manutenção do amparo aos pesquisadores no Maranhão é um incentivo importante para que a ciência continue ajudando a sociedade. “Essa ajuda serve como estímulo e é uma forma de reconhecimento à nossa produção, no nosso estado, que não está jogada às traças. Com esse apoio eu me senti estimulado a continuar usando o meu conhecimento para ajudar a solucionar problemas e a contribuir para a sociedade de alguma forma”, comenta.

Mais Editais 

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fapema abriram novos editais de apoio à pesquisa científica. Os editais apoiam a qualificação de docentes e pesquisadores de pós-doutorado no país e no exterior, além de auxílio à realização de eventos da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2019. Os interessados podem se inscrever no site da Fapema (www.fapema.br).