Projeto ‘Aquaponia’ incrementa agricultura familiar em 30 municípios do MA

 

Exposição sobre aquaponia em Água Doce do Maranhão, no 'Dia D do Mais IDH'. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Exposição sobre aquaponia em Água Doce do Maranhão, no ‘Dia D do Mais IDH’. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Uma técnica que alia criação de peixes com o cultivo de hortaliças em água será aplicada em 30 municípios maranhenses como forma de incentivo à agricultura familiar. É o Projeto ‘Aquaponia’, iniciativa do Governo do Estado realizada pela Secretaria de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), em parceria com a Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

O projeto vai beneficiar mil famílias em uma primeira fase, por meio de investimentos do Governo do Estado da ordem de R$ 576 mil. Os municípios favorecidos fazem parte do Plano ‘Mais IDH’. Nesses locais serão colocados em prática ações que elevarão o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A implantação da iniciativa está integrada ao Programa ‘Minha Casa Meu Maranhão’, como forma de gerar renda às famílias beneficiadas com unidades habitacionais populares.

Para a secretária de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Flávia Alexandrina, o projeto colabora, de forma efetiva, com o Plano ‘Mais IDH’, ao integrar políticas de habitação e geração de renda. “A construção de habitações rurais gera trabalho social, e o sistema de produção aguaponia fortalece o eixo de geração de renda. Assim, vamos contribuir com a elevação progressiva do IDH dos municípios com menor índice do estado”.

Os 15 primeiros municípios onde já estão sendo construídas casas do ‘Minha Casa, Meu Maranhão’ e serão contemplados com o ‘Aquaponia’ são Afonso Cunha, Amapá do Maranhão, Água Doce do Maranhão, Araioses, Belágua, Conceição de Lago Açu, Cajari, Governador Newton Bello, Lagoa Grande, Marajá do Sena, Santa Filomena, Santana do Maranhão, São João do Sóter, Serrano do Maranhão, Satubinha. Nessas localidades, a previsão de entrega das unidades habitacionais é para dezembro deste ano. Já o ‘Aquaponia’ ainda não tem data marcada, pois o projeto está em fase de licitação.

Expectativa

Produtores rurais de Água Doce do Maranhão conheceram o protótipo do Projeto em exposição realizada na cidade durante o ‘Dia D – Mais IDH’, que é uma maratona de ações sociais ocorrida de forma simultânea, em agosto, nos 30 municípios atendidos pelo Plano ‘Mais IDH’. Dentre as pessoas que conheceram o projeto, o agricultor Francisco das Chagas Rodrigues se interessou pelos diversos benefícios a serem gerados como a produção de alimentos saudáveis e o modelo de produção familiar que o possibilitará trabalhar perto de casa.

“Tem tudo a ver com um modo de vida melhor, com mais bem-estar. Não pode haver um sistema melhor do que esse para o camponês”, disse Francisco das Chagas. O agricultor destacou o potencial do projeto para solucionar as dificuldades de produção rural em períodos de estiagem. “Nós vamos ser multiplicadores do governo para melhorar a situação alimentar do povo camponês, que está sofrendo muito com a escassez de chuva”, explicou Francisco das Chagas Rodrigues.

Aquaponia

O Projeto ‘Aquaponia’ irá disseminar entre agricultores familiares uma técnica de produção que integra a aquicultura (criação de peixes) e a hidroponia (cultivo de hortaliças na água). O sistema foi desenvolvido para produzir alimentos saudáveis sem desperdício dos recursos hídricos, gerando reaproveitamento de 70% da água utilizada.

Para o professor Raimundo Vale, que conduz o projeto através da Secretaria Adjunta de Projetos Especiais da Secid, o sistema de produção em aguaponia propõe uma mudança de realidade no estado. “Esperamos que a ideia tenha grande repercussão junto ao pequeno agricultor, pois tem custo baixo e pode ser adequada com materiais da própria região na produção de peixes e hortaliças”, pontuou Raimundo Vale.