Pacto pela Paz reduz assaltos nos bairros da Grande Ilha

O governador Flávio Dino entregou 50 novas viaturas para uso da Polícia Militar e apresentou as ações do Pacto pela Paz. Foto: Karlos Geromy/Secom

Governador Flávio Dino durante entrega de novas viaturas que integram as ações previstas no Pacto pela Paz. Foto: Karlos Geromy/Secap

Patrulhamento nas ruas e ações preventivas nas escolas e comunidades. Essas são as frentes de combate da Polícia Militar para redução da criminalidade nos bairros da Região Metropolitana de São Luís. As ações de repressão, potencializadas com o aumento no efetivo policial e aquisição de novas viaturas, aliadas a abordagem preventiva, conduzida pela polícia comunitária, fazem parte das diretrizes do Pacto pela Paz, criado pelo Governo do Maranhão.

Em um ano e meio, o Governo do Estado aumentou o efetivo em mais de 1.500 novos policiais e já adquiriu 300 novas viaturas e 100 motocicletas. Para o comandante do Comando do Policiamento de Área Metropolitana 1 (CPAM1), coronel Pedro Ribeiro, o reforço potencializou a atuação policial nos bairros, principalmente no combate aos assaltos, modalidade de crime que mais incomoda a população atualmente.

Segundo o comandante do CPAM1, os bons resultados obtidos no enfrentamento ao tráfico de drogas e aos assaltos a ônibus levaram a criminalidade a migrar de atividade, realizando mais assaltos a bordo de motocicletas. Em virtude disso, a Polícia Militar tem trabalhado para coibir os motoqueiros assaltantes, realizando ações pontuais de patrulhamento nos bairros.

“A reclamação nos bairros é no amanhecer, quando as pessoas se dirigem às paradas de ônibus e são assaltadas. Então, a Polícia Militar está fazendo ações pontuais no combate aos assaltantes que usam motos”, explicou o coronel Pedro Ribeiro. Segundo ele, as ações pontuais consistem na intensificação do patrulhamento, por meio de viaturas, nas áreas com maior ocorrência de assaltos, a exemplo da zona rural.

De acordo com o comandante do CPAM1, coronel Pedro Ribeiro, a Polícia Militar também tem atuado de forma estratégica, com equipes em viaturas posicionadas nas principais rotatórias de avenidas da Grande Ilha. “Ao ligar para o telefone 190, a população tem uma viatura de prontidão no seu bairro, para solucionar quaisquer ocorrências”, ressaltou o coronel.

Resultados

Como resultado do policiamento nas ruas, o coronel Pedro Ribeiro destacou o aumento no número de apreensões de armas e captura de suspeitos. No ano passado, a polícia apreendeu 1.113 armas de fogo e, no primeiro semestre deste ano, foram apreendidas 600 armas de fogo. Em 2015, cerca de 800 pessoas foram presas e, na primeira metade de 2016, esse dado cresceu para mais de 1 mil. “Esses dados revelam que nós estamos apreendendo armas e prendendo criminosos”, frisou o coronel Pedro Ribeiro.

Para o comandante do CPAM1, o crescimento nas apreensões de armas ilegais e prisões trouxe mais segurança para as ruas. “A dinâmica da operação faz com que a população tenha uma sensação de segurança maior. Hoje, a polícia militar está em todos os pontos da cidade, quer fazendo abordagem, quer fazendo patrulhamento”, informou.

Ações preventivas

Em outra frente de combate, a polícia tem atuado de forma preventiva, realizando palestras, cursos e capacitações em escolas e comunidades. As ações preventivas são conduzidas por policias militares do Comando de Segurança Comunitária (CSC), em toda a região metropolitana e no interior do estado.

Segundo o comandante da CSC, o tenente-coronel Diniz Batista Vasconcelos, as ações consistem em palestras sobre prevenção ao uso de drogas e combate à violência nas escolas, além de cursos e capacitações nas comunidades, em parceria com instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão(Fiema).

Outras ações sociais, voltadas para a terceira idade, e em prol da cultura de paz, como as caminhadas pela paz, também foram destacadas. “Nosso objetivo é aproximar os jovens e a comunidade em geral da Polícia Militar, para que, juntos, alcancemos melhores resultados na diminuição da violência”, disse o comandante da CSC, Diniz Batista Vasconcelos.

Pacto pela Paz

Ações de Segurança Pública voltadas para a redução dos índices de violência e divulgação da cultura de paz fazem parte do Pacto pela Paz, criado pelo governador Flávio Dino, por meio da Lei N° 10.387. Além do poder público estadual, o Pacto pela Paz reúne esforços de entidades da sociedade civil e cidadãos em geral.