Museus e espaços públicos em São Luís garantem diversão e cultura para a garotada

Garantindo a diversão e o conhecimento para a garotada, os museus e os espaços de cultura em São Luís, vinculados ao Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), oferecem programação durante todo ano.  De forma gratuita, os espaços mostram uma ampla visão da produção maranhense no campo da arte, cultura e história.

Embarcando nessa viagem cultural, um grupo de crianças e adolescentes participou de uma visita guiada, na tarde da última quinta-feira (25), no Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia (CPHNA), localizado na Rua do Giz, no Centro Histórico de São Luís.

A oportunidade gera o estímulo ao aprendizado, além do enriquecimento cultural de quem visita. Com apenas 9 anos, Robert Soares, estudante do 6º ano, foi pela primeira vez a um museu e falou do encantamento de poder ver de perto uma réplica de dinossauro. “Eu gostei muito, não sabia que tinha esse tanto de coisa legal em um museu. Eu só via pela televisão. Agora eu vou pedir para minha mãe para me levar a mais outros museus”, conta visitante.

A mãe de Robert, a faxineira Laura Muniz Rabelo, que o acompanhava durante a visita, disse querer “passar para ele o conhecimento e oportunidade que eu não tive. Às vezes a gente pensa que tem que gastar muito para levar a criança para se divertir, mas não. Aqui não gastamos nada, pelo contrário, aprendemos mais sobre a história”.

Em uma área de mais de 226m² dedicados à exposição, a mostra do CPHNA é resultado de anos de pesquisa em três áreas específicas do conhecimento científico, que são a Arqueologia, a Paleontologia e a Etnologia.

Nos três ambientes da casa destinados a essas áreas científicas, é possível encontrar desde restos mortais de formas primitivas de vida achadas em território maranhense, até modernas representações dessas, como dinossauros. Também há registros de tribos e culturas indígenas que participaram da formação do povo maranhense.

Estreia em alto nível

Toda a história da arqueologia deixou a estudante Lissandra dos Santos Pereira, de 11 anos, empolgada para levar a família para visitar o espaço: “Eu nunca tinha vindo em um museu. Eu gostei muito de aprender sobre a história dos índios que a tia nos ensinou. Eu também gostei de ver um dinossauro tão grande. É maravilhoso esse passeio”.

Dividido em dois andares, o museu conta com a parte de Paleontologia, onde se encontram réplicas de dinossauros, fósseis e espécies da pré-história do Maranhão. O segundo andar conta com peças de cerâmicas, artefatos pré-coloniais, objetos de usos dos povos indígenas.

No mesmo grupo de visitação, a adolescente Amanda de Tássia Santos Barros, de 13 anos, detalhou o interesse pelas esculturas indígenas expostas no segundo andar do museu e falou da importância de o maranhense conhecer o espaço. “Tanta coisa legal que pode mudar a nossa forma de ver o passado. Eu acho que todo maranhense e turistas deveriam vir aqui”, sugere.

Outra atração do local é o espaço interativo que utiliza diversos recursos tecnológicos para contar a história das etnias que originaram o povo maranhense, algo que prendeu a atenção da Camila Vitória Cândido Silva, de 12 anos: “A gente fica sabendo de muita coisa que não se aprende na sala de aula. É bem legal mesmo. Estou muito feliz em poder participar desse grupo de visitação”.

Navegando no museu

Uma das mais novas casas de cultura do Maranhão, o Forte Santo Antônio, no Espigão da Ponta D’Areia, em São Luís, também é uma ótima opção de lazer para crianças e adolescentes. O espaço fica localizado num dos mais belos pontos turísticos da cidade, onde os pais podem aproveitar para interagir com as crianças.

No local, o visitante pode conhecer o Museu de Embarcações e exposição com 18 tipos de barcos tipicamente maranhenses por meio de maquetes que reproduzem em escala o original. Diferenciadas de outras pela originalidade de suas formas, as embarcações maranhenses tradicionais fazem parte do patrimônio cultural da cidade.

Outra atração do Forte são os canhões originários da França e instalados no século 19. Tanto os canhões como a estrutura original que sustentava o farol foram inteiramente restaurados.

Outra opção gratuita e cheia de história é o Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHA), que reconstitui toda a decoração e os artefatos de uma casa do século 19.

Também estão na lista das casas de cultura mantidas pelo Governo do Estado a Casa de Nhozinho (Rua Portugal), Museu de Arte Sacra (anexo MHAM), Palácio dos Leões, Centro de Produção Artesanal do Maranhão (Ceprama), Museu Histórico e Artístico de Alcântara (anexo MHAM) e Casa do Divino Alcântara, as duas últimas na cidade de Alcântara.

Sugestões de visitas:

– Centro de Pesquisa e Historia Natural e Arquelogia é localizado na Rua do Giz, 59, Praia Grande
– Museu Histórico e Artístico do Maranhão, na Rua do Sol, 302, Centro
– Convento das Mercês, na Rua da Palma, 502 – Desterro
– Museu de Arte Sacra, na Av. Pedro II, s/n, Centro
– Palácio dos Leões, Av. D. Pedro II, – Centro
– Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho, na Rua do Giz, 205/221 – Praia Grande
– Casa de Nhozinho, na Rua Portugal, 185, Praia Grande
– Casa do Maranhão, na Rua do Trapiche, s/n Praia Grande
– Forte Santo Antônio, no Espigão Costeiro da Ponta D’Areia
– Museu Histórico de Alcântara, na Praça da Matriz, Centro, Alcântara
– Casa do Divino – Alcântara, na Rua Grande, 88, Centro, Alcântara