“Me sinto mais segura”, diz aluna sobre aulas do Governo do Maranhão para o Enem

Beatriz Pereira se sente mais preparada após as aulas preparatórias. Foto: Handson Chagas/Secap

A confiança e o domínio dos conteúdos do Ensino Médio são essenciais para conquistar uma nota boa no Enem neste domingo (5) e a tão sonhada aprovação em uma das universidades públicas do Brasil. Para ajudar os alunos do terceiro ano da rede pública a chegar lá, o Governo do Maranhão realizou, durante todo o ano, intensas atividades paralelas ao ensino tradicional escolar.

Um dos principais exemplos é o Aulão do Enem, programa desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação.  A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) também fez ações, como aulas aos sábados e testes de redação aplicados aos estudantes.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acontece pela primeira vez aos domingos. Serão 5h30 de duração, com a redação junto das seguintes áreas de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias.

O gestor Rafael Schliepe destaca a importância da tranquilidade na prova. Foto: Handson Chagas/Secap

As provas do segundo dia (12) terão 4h30 de duração, com as áreas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

Para encarar essa bateria de provas, os alunos do terceiro ano Centro de Ensino Médio Coelho Neto tiveram na manhã desta quarta-feira (1º) testes de redação. “É muito bom, ainda mais no meu caso, que estava insegura e me sentindo perdida de como desenvolver a redação para o vestibular”, diz Beatriz Pereira, de 19 anos, que prestará o vestibular para o curso de medicina.

“Com esse teste antecipado, hoje eu me sinto muito mais segura, porque eles nos direcionaram como desenvolver a técnica na hora da prova. Às vezes você até domina o conteúdo, mas o nervosismo e a falta de habilidade para colocar em prática podem resultar na eliminação na prova. Agora estou muito confiante de que eu vá conseguir conquistar esse sonho”, acrescenta Beatriz.

Aposta na redação

Henri Duarte aposta na redação. Foto: Handson Chagas/Secap

Já Henri Duarte, de 17 anos, ainda não tem certeza do que pretende cursar, mas tem algumas pistas: “Acredito que na hora escolherei jornalismo. E como essa pode ser uma das áreas, o fundamental é que se escreva bem, muito bem na redação. Essa aula aqui está sendo um bônus para a gente que vem se empenhando durante todo o ano”.

Na turma ao lado, Serena Martins, de 17 anos e também no terceiro ano, conta que, além das aulas tradicionais e das ações desenvolvidas pelo Governo, ela se matriculou em um cursinho e vem revisando em sites que desenvolvem testes específicos para o Enem. “É uma forma de melhorar e estimular o aluno para que ele vá com mais segurança para a prova. Com essas aulas extras e com esses testes, os professores antecipam um pouco do que a gente vai encontrar nesses dois dias de provas”, avalia.

O gestor geral do Centro de Ensino Médio Coelho Neto, Rafael Schliepe, diz que “o nosso objetivo principal é poder preparar os alunos para que eles possam chegar aos dois domingos de forma mais consciente, mais preparados, tanto para redação como para português, entre outras disciplinas que serão cobradas na prova”.

“A ideia é que eles entrem um pouco mais tranquilos na prova. É positivo porque os alunos crescem e amadurecem, realizando essas atividades Pré-Enem”, acrescenta o gestor.

Aulão do Enem

Serena Martins segue atenta às dicas. Foto: Handson Chagas/Secap

Além dessas atividades, o Aulão do Enem no ano de 2017 se expandiu e alcançou 94 municípios maranhenses. A meta do programa para este ano era alcançar mais de 40 mil alunos.

Esse dado representa 370% a mais de cidades se comparado com o ano de 2015, período de lançamento do programa, quando 20 cidades do Maranhão foram beneficiadas. Em 2016, o número de municípios contemplados foi de 65.

No Aulão do Enem, as aulas foram aplicadas no formato de megarrevisão, com o desenvolvimento teórico das apostilas do tipo 1, 2, 3, 4 e 5, contemplando todas as disciplinas. Equipe multidisciplinares estiveram presentes, com plantões para tirar dúvidas dos estudantes.