Imesc disponibiliza mapas e dados de monitoramento do Programa de Produção e Abastecimento do Maranhão

Capa do site onde está hospedado o conteúdo do programa social disponibilizado pelo Governo do Maranhão

O Governo do Estado, por meio do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), oferece à sociedade mais um conjunto de dados sobre programas sociais do Governo. Já está disponível na página oficial do Imesc (http://imesc.ma.gov.br/portal/Projetos), o conteúdo produzido pela Sala de Situação que monitora as ações do Sistema Estadual de Produção e Abastecimento (Sepab).

Criado no primeiro ano da gestão do governador Flávio Dino, em 2015, e coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), o Sepab tem como objetivo coordenar ações integradas na agricultura, pecuária, pesca e aquicultura, com foco no abastecimento, em todo o território maranhense.

O presidente do Imesc, Felipe de Holanda, explica a posição do Instituto dentro das ações do Sepab. “Cabe ao Imesc apoiar, tecnicamente, no monitoramento e avaliação das ações e de seus resultados obtidos nas diversas cadeias produtivas, oferecendo suporte cartográfico, elaborando indicadores e colaborando nas análises para tomadas de decisões estratégicas”, explicou.

A Sala de Situação contém mapas das cadeias produtivas incentivadas, contemplando o status das ações em andamento. Os mapas e documentos auxiliam no monitoramento e avaliação das ações das cadeias produtivas e disponibilizam informações estratégicas aos agentes da economia solidária e da produção familiar, bem como investidores, nos âmbitos da agricultura, pecuária, pesca, aquicultura, florestas e agroindústria.

O Sepab funciona dentro das ações do ‘Programa Mais Produção’ que define 10 cadeias produtivas prioritárias: feijão, arroz, mandioca, carne e couro, ovinocaprinocultura, leite, avicultura – caipira e industrial, piscicultura, hortifruticultura e mel. As cadeias são trabalhadas no fortalecimento dos programas de abastecimento do estado e na busca pela autossuficiência. O objetivo é promover o adensamento de cada cadeia e dos arranjos produtivos locais em diferentes escalas (pequenos, médios e grandes), agregando valor aos produtos maranhenses, gerando mais riqueza, emprego e renda. Para isso, o governador Flávio Dino determinou investimento de R$ 62 milhões nas ações do programa.

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, informou que o trabalho do ‘Programa Mais Produção’ contempla 125 municípios, em dez cadeias produtivas. Em parceria com o Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), está sendo oferecida assistência técnica e gerencial a 1.550 propriedades. “Esses são alguns números que mostram o enorme alcance do programa. O acompanhamento detalhado das ações e dos resultados vai contribuir para que ele possa ser sempre aperfeiçoado”, frisou.

As ações definidas para as cadeias produtivas serão executadas pelas secretarias e órgãos que compõem o Sepab: Sagrima, que exerce a coordenação, Secretarias de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Indústria e Comércio (Seinc), Desenvolvimento Social (Sedes), Trabalho e da Economia Solidária (Setres) em parceria com Senar e Imesc.