Governo prevê 12% a mais de recursos para a Ciência e Tecnologia em 2018 no Maranhão

Participante da Semana de Ciência e Tecnologia em Timon. Foto: Carlos Pereira/Secap

Dentro da estratégia de desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, o governador Flávio Dino encaminhou à Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema) proposta para aumentar os recursos no setor em 2018. A alta prevista é de 12% em relação a 2017.

Pela proposta encaminhada dentro do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), os investimentos em Ciência e Tecnologia contemplam mais recursos para os IEMAs, Fapema, Universidades Estaduais e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Ao todo, os recursos para o setor passarão de R$ 700 milhões para R$ 781 milhões.

Criada pelo governador Flávio Dino, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UemaSul) passará a ter orçamento próprio no ano que vem. Pela proposta, encaminhada à Alema, serão investidos R$ 104 milhões para expansão do Ensino Superior na região.

Semana de Ciência e Tecnologia de Timon faz parte dos investimentos no setor. Foto: Carlos Pereira/Secap

O governador também propôs o aumento dos recursos destinados à Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), que passarão dos atuais R$ 55,3 milhões para R$ 64,2 milhões no ano que vem.

Para o secretário de Estado da Ciência Tecnologia e Inovação, Davi Telles, o Maranhão se diferencia dos demais estados por garantir investimentos num setor bastante atingido pela crise econômica nacional.

“Num cenário de grave retrocesso no âmbito nacional, do ponto de vista do financiamento e do fomento à pesquisa e à ciência e tecnologia, o Governo do Maranhão se sobressai exatamente por caminhar no sentido inverso. A Fapema tem mantido um vigoroso processo de investimento em pesquisa e temos trabalhado na expansão, como no caso dos IEMAs”, diz.

O Projeto de Lei Orçamentária para 2018 propõe aumento total de 9,5% nos investimentos públicos. Além da Ciência e Tecnologia, a proposta prevê mais recursos para investimentos em todas as áreas prioritárias.

O aumento do orçamento para o ano que vem é resultado de um esforço de gestão, mesmo com a crise nacional, como explica o secretário adjunto de Planejamento e Orçamento, Roberto Matos: “Trabalhamos em conjunto com a Secretaria de Fazenda, que produziu uma política fiscal eficiente, levando o Maranhão a registrar crescimento de 6,5% e 5,9% na Receita Tributária e nas Transferências Correntes, respectivamente”.

Mais recursos para a educação básica

Para garantir mais investimentos no Programa Escola Digna, valorização profissional e qualidade do ensino básico, o governador Flávio Dino propôs à Assembleia Legislativa uma ampliação orçamentária para a educação básica, que equivale a 23,7%. Os investimentos passam dos R$ 2,65 bilhões em 2017 para R$ 3,28 bilhões no ano que vem, o que garantirá a ampliação de programas como o Escola Digna.

Semana de Ciência e Tecnologia de Timon faz parte dos investimentos no setor. Foto: Carlos Pereira/Secap