Governo anuncia assistência cirúrgica em cardiopatia pediátrica

De forma inédita e pioneira no Maranhão, para reduzir a demanda de procedimentos cirúrgicos em crianças portadoras de cardiopatia congênita, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), celebra um acordo de cooperação com o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA). O acordo define o repasse de insumos e medicamentos para a realização das cirurgias de emergência no HU, enquanto é construída uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) pediátrica no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, no prazo de 60 dias, com dez leitos à disposição para atendimentos pré-operatórios, cirurgias e pós-operatórios.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a medida pretende reduzir um gargalo histórico dessa especialidade no estado. “Durante décadas, essa foi uma ferida exposta da assistência em saúde no nosso estado. E, com bastante empenho, temos buscado soluções viáveis para um problema tão grave, que continuamente nos sensibiliza. Esta gestão volta a atenção para os pacientes e para as suas famílias, sobretudo buscando ofertar cuidado aos maranhenses, inclusive na área de cardiopatia pediátrica”, disse Lula.

A criança portadora de cardiopatia congênita passa por uma triagem no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos com consultas e exames específicos para detectar a necessidade ou não de cirurgia. Caso haja necessidade do procedimento, a criança é encaminhada para o Hospital Universitário e, após a cirurgia, se houver alguma intercorrência, a criança é transferida para o Juvêncio Mattos para realização de exames e processos específicos de recuperação pós-cirúrgica. A medida, de caráter de urgência, oferece resolutividade para os casos mais graves de crianças cardiopatas.

“O acordo de cooperação com o Hospital Universitário acelera o atendimento das crianças que aguardam pela cirurgia, desafogando a fila de espera, enquanto o governo instala a UTI pediátrica com dez leitos para realização de todos os procedimentos cirúrgicos cardíacos nas crianças, mas por enquanto, eles serão feitas no HU com insumos cedidos pela Secretaria de Estado da Saúde”, explicou Janyr Carvalho de Araujo, chefe da assessoria jurídica contenciosa da SES.

UTI pediátrica
Os atendimentos cirúrgicos em crianças portadoras de cardiopatia congênita serão concentrados no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos. “Na nossa unidade estadual será oferecido todo suporte para o paciente, desde a triagem, realização de diagnósticos e encaminhamentos cirúrgicos se precisar. Termos no Brasil uma deficiência crônica neste tipo de atendimento pediátrico, mas daqui para frente, o Maranhão será um estado de referencia, sanando este problema de saúde infantil”, afirmou Marina Sousa, gestora da Unidade de Regulação, Controle e Avaliação do Sistema de Saúde.

O coordenador da Central de Regulação da SES, Egídio de Carvalho, ressalta que, atualmente, o grande gargalo da regulação é a insuficiência de leitos pediátricos, mas que a gestão trabalha para sanar este problema de saúde pública. “Temos um universo grande de crianças portadoras de cardiopatias congênitas, é uma demanda nacional. O Maranhão sai na frente com a disponibilização de mais leitos pediátricos no Hospital Juvêncio Mattos que reduzirá significativamente a deficiência na área. Além dos leitos, vamos ampliar as equipes médicas para agilizar os diagnósticos e procedimentos cirúrgicos”, afirmou Egídio.

O que é Cardiopatia congênita
A Cardiopatia congênita é uma alteração na estrutura e função do coração que pode ser desenvolvido ainda dentro da barriga da mãe até as oito semanas de gestação. Pode ser causada pelo uso abusivo de drogas, álcool, substâncias químicas, infecção na gravidez ou rubéola.

As cardiopatias congênitas são mais comuns na síndrome de Down, sendo diagnosticadas durante o pré-natal, necessitando de cirurgia logo ao nascer. No entanto, muitas crianças com cardiopatia congênita, não precisam ser operadas e levam uma vida normal.