Em Barreirinhas, Governador entrega mais duas Escolas Dignas

Com as inaugurações em Barreirinhas, governo do estado entregou 11 escolas dignas até o momento. Foto: Gilson Teieira/Secap

“Estudei nessa escola sentado pelo chão porque não tinha nenhum banco pra sentar, todo sujo de barro. Assim foi com meus filhos, meus netos e agora, só agora, isso vai mudar”. O relato comovente é do aposentado Alberto de Castro, 76 anos, que desde que nasceu mora no povoado de São José dos Viúvos, em Barreirinhas, onde foi entregue pelas mãos do governador Flávio Dino mais uma Escola Digna, nesta segunda-feira (22). Na mesma manhã, também em Barreirinhas, uma segunda unidade nova foi entregue pelo governador, no povoado de Mangas. São antigas e duras realidades sendo transformadas e o que parece pouco para alguns é, para gente como o seu Alberto e para os quase 200 estudantes beneficiados com as duas novas unidades, um sonho antigo, agora realizado.

O programa Escola Digna tem conseguido, segundo Flávio Dino, cumprir um objetivo fundamental da atual do Governo do Estado, levar desenvolvimento para quem foi historicamente negligenciado, garantido igualdade de chances e de oportunidades. “Os benefícios chegam para o povoado de Mangas e de São José dos Viúvos, para Barreirinhas e para o estado, porque estamos levando cidadania e direitos para uma parcela do nosso povo antes condenada à invisibilidade, a não ser visto e a não ser lembrado. E nós estamos mostrando que, de fato, a boa política, aquela que garante direito para todos é o que nós estamos praticando no Maranhão”, relatou o governador.

Com as inaugurações em Barreirinhas, governo do estado entregou 11 escolas dignas até o momento. Foto: Gilson Teieira/Secap

Mangas está a uma hora da sede de Barreirinhas e o acesso é difícil, de estrada carroçal e muita areia, onde mora há 63 anos seu Zé Pereira. “Nenhum governador nunca tinha vindo aqui, nem em período de eleição, nem de campanha política e agora a gente vê isso aqui. É um privilégio muito grande, ainda mais para inaugurar essa escola, que para o que conheço é um padrão de primeiro mundo, aqui no meio desse ‘matão’, como se diz, no meio desse ‘vai quem quer’ e eu não sei nem dizer como estou feliz”, contou o senhor, animado com o resultado e com a inédita presença de um chefe de estado no povoado tão distante do centro da cidade.

Lá foi construída a Escola Municipal Bom Pastor, com quatro salas, banheiros com acessibilidade, cantina e mobiliário, tudo bem diferente da antiga escola, beneficiando aproximadamente 140 estudantes do ensino fundamental, de 2 a 16 anos. Para viabilizar a obra, a Secretaria de Estados de Desenvolvimento Social (Sedes) construiu um poço de 56 metros de profundidade e vazão de oito metro cúbicos/hora. Com a nova infraestrutura, 120 famílias e 500 pessoas passam a ter acesso a água de qualidade. Uma grande transformação na vida de quem mora no local, como a lavradora Maria da Glória Rodrigues, 52 anos, que, de uma única vez, está ganhando uma escola de qualidade para o filho pequeno e água na torneira de casa. Ela contou que na casa havia dois grandes problemas: enquanto o filho, o pequeno Erlilson, de oito anos, estudava em escolas sem a menor infraestrutura, ela precisa se virar para conseguir água para os afazeres domésticos caminhando distâncias.

São José dos Viúvos

Com as inaugurações em Barreirinhas, governo do estado entregou 11 escolas dignas até o momento. Foto: Gilson Teieira/Secap

Já em São José dos Viúvos foi inaugurada a escola Epitácio Cafeteira, que atenderá 83 alunos. Entre eles está o Lucas Ferreira, que nos últimos três anos estudou em pequenas casas alugadas, sem a menor estrutura para ensino e aprendizagem, porque a unidade municipal estava completamente comprometida. “Agora estou muito feliz porque tem essa escola chique, aqui pertinho da minha casa e eu vou estudar à noite. Cheguei foi a passar vergonha, estudando na casa dos outros, alugada. Agora estou feliz da vida, escola nova, farda nova, tudo novo. Eu vou zelar e não vou deixar nada acontecer”, contou Lucas, que também comemorou a chegada de um poço e das instalações elétricas que beneficiarão 120 famílias do povoado.

A família da dona de casa Jeane Cardoso, 30 anos, também sentirá a transformação dos novos investimentos. Mãe de duas crianças, ela conta que os pequenos estudam há três anos em casas cedidas ou alugas. “Há muito tempo a gente pedia uma escola para o lugar, para estudar numa escola melhor, em que pudessem ter um estudo melhor”, conta.

Para a construção das duas unidades escolares, o Governo do Estado aplicou mais de R$ 1 milhão. Cada escola custou R$ 511.351,90. Os prédios possuem estrutura com quatro salas e também ganharam mobiliário novo, adequado para a aprendizagem dos alunos, como explica o secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão. “Sempre uma grande emoção, estamos entregando mais duas Escolas Dignas, desta vez em Barreirinhas. É uma revolução da educação do Maranhão e a perspectiva é de mais 200 até o fim do ano e assim nós vamos transformando a vida das pessoas concretamente, programa Escola Digna é isso é a transformação, é a substituição das escolas de taipa e estrutura inadequada, por espaços bem diferentes”, destacou Felipe Camarão, que lidera a pasta que executa o programa.

Escola Digna
Promovido pelo Governo do Estado, o Programa Escola Digna está substituindo escolas de taipa e palha por prédios de alvenaria em todo o Maranhão. Até o momento foram entregues 11 unidades: Fortaleza dos Nogueiras (1), Parnarama (1), Turiaçu (1), São João do Sóter (1), Buriticupu (2), Barreirinhas (2) e Santa Filomena (3). Em outra frente do programa, unidades escolares precárias também estão sendo reconstruídas ou reformadas. A meta do governo estadual é entregar 300 novas Escolas Dignas até 2018. Além disso, até julho deste ano, serão 574 escolas reformadas ou reconstruídas.

Com as inaugurações em Barreirinhas, governo do estado entregou 11 escolas dignas até o momento. Foto: Gilson Teieira/Secap