Palestras e documentário encerram 2ª Conferência de Políticas Penitenciárias do Maranhão

Público da 2ª Conferência de Políticas Penitenciárias do Maranhão. (Foto: Clayton Monteles)

O documentário ‘Pedrinhas, 4 anos depois: a história que ainda não foi contada’ encerrou, na tarde de quarta-feira (7), a programação da 2ª Conferência de Políticas Penitenciárias do Maranhão. O evento foi realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP).

As atividades, que ocorreram no auditório da Casa Civil, Calhau, contaram com palestras de várias autoridades do sistema prisional brasileiro que dialogaram sobre a questão penitenciária nacional. O objetivo da conferência foi fomentar o debate e a troca de experiências pertinentes ao sistema penitenciário.

“Os desafios para a individualização da execução da pena privativa de liberdade” foi um tema abordado pelo mestre em Psicologia Social e Doutor em Psicologia Clínica, pela PUC de São Paulo, Alvino Augusto de Sá; e pelo secretário municipal de Segurança e Prevenção de Belo Horizonte (MG), Genilson Ribeiro Zeferino.

O público assistiu também momento sobre “A atuação preventiva da atividade correcional no Sistema Penitenciário”. A palestra foi ministrada pelo corregedor geral do DEPEN, Paulo Rodrigues. “A política de alternativas penais: conjuntura, perspectivas e desafios” também foi um dos pontos altos da conferência.

Abordaram este tema o consultor técnico do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Talles Andrade de Souza; e o juiz titular da 2ª VEP de São Luís, Fernando Mendonça. À tarde, a “Monitoração Eletrônica como possibilidade de desencarceramento” foi tema debatido.

José Cláudio Cabral Marques, promotor de Justiça do Ministério Público do Maranhão; e Ivonaldo Torres, gerente do Centro de Monitoramento de Pernambuco, explanaram o assunto.

As palestras sobre Segurança e Inteligência Prisional, umas das mais aguardadas, fecharam o ciclo de debates do evento. Estas foram ministradas por Luís Mauro Araújo, secretário de Estado de Justiça e Cidadania do RN; e Sandro Abel Barradas, Agente Federal de Execução Penal e coordenador Geral de Inteligência Penitenciária; e Guaracy Mingardi, Analista Criminal e Consultor em Segurança Pública.

A conferência foi encerrada com a exibição do documentário sobre o sistema prisional do Maranhão. O longa, que durou 1h20min, foi dirigido pela advogada e professora de Direito Penal da Faculdade Processus do DF, Cláudia Duarte; e teve a produção da Coruja Produções.

Comentários

Comentários