Operação integrada da Polícia Civil prende homicidas no interior do Estado

Armas apreendidas durante ação policial (Foto: Divulgação)

Resultado de ação integrada da Polícia Civil na capital e interior do Estado, foram presos três suspeitos de homicídios, sendo um dos casos, feminicídio. A polícia cumpriu mandados de prisão expedidos pela justiça, na última terça-feira (7), nos municípios de Caxias e Tutóia, sendo os crimes cometidos no Maranhão e Brasília.

As prisões integram ação policial desenvolvida desde o mês de março, incluindo vários setores da Polícia Civil. O objetivo é cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão por crimes como homicídio, roubo, tráfico de drogas e ocorrências a coletivos. O trabalho integrado é realizado em 20 regionais da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), envolvendo mais de 700 policiais e já contabiliza mais de 270 criminosos presos.

“A força-tarefa da Polícia Civil nesta ação integrada, se soma ao trabalho diário que já realizamos e intensifica o trabalho que tem sido exitoso. Esta operação é permanente e temos contado com o apoio da Justiça para expedição dos mandados solicitados e assim, poder efetuar as prisões e tirar os criminosos de circulação”, pontua o Delegado Geral, Leonardo Diniz. O coordenador da operação e titular da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), delegado Armando Pacheco, reforça que “o trabalho integrado possibilita mais prisões e contribui para solução de outros casos em investigação”.

A prisão efetuada pela equipe de Caxias cumpriu mandado contra Marcos Rafael da Paz Abade, de 25 anos, por homicídio qualificado. Ele foi preso na zona rural de Codó, próximo à divisa com São João do Sóter MA e na ocasião, a polícia apreendeu um revólver calibre 38, com cinco cartuchos intactos e uma motocicleta Honda Fan, cor preta, placa OJF-9065, que havia sido roubada. Além do homicídio e o roubo, Marcos Abade tem passagens por porte ilegal de arma, lesão corporal e vários assaltos.

Outro preso em Caxias, João Átila Vieira, tinha contra si dois mandados de prisão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que o condenou pelos crimes de feminicídio e homicídio, resultando em pena total de 12 anos. O homicida foi preso no povoado Rosário, zona rural da cidade maranhense de Caxias. Em Tutóia, o detido foi Francisco das Chagas, suspeito da morte de um perito criminal em São Luís. O preso foi encontrado escondido em um barco, onde segundo informações da investigação, ficou por vários dias no mar para não ser encontrado.

O plano estratégico de operação tem foco no combate a diversos crimes. Também desde o mês de março, uma comissão de delegados, escrivães e peritos atua com foco na redução de ocorrências a coletivos. A força-tarefa da Polícia Civil conta com efetivo da Delegacia Geral, delegacias de Roubos e Furtos e Adjunta Administrativa, Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) e Delegacia Geral Adjunta Operacional.

Comentários

Comentários