Fecoimp projeta crescimento de 20% nos negócios para edição deste ano

Começa nesta quarta-feira (13), às 18h30, em Imperatriz, a 17ª Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz (Fecoimp).  A Feira, a maior multissetorial do Maranhão, estima ter um crescimento nos negócios 20% maior que a edição do ano passado. A feira é promovida pela Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII), em parceria com o Governo do Estado do Maranhão, por meio das Secretarias de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), de Cultura e Turismo (Sectur) e a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap).

A 17ª Fecoimp, cujo tema deste ano é “Todos os negócios acontecem aqui”, visa promover a integração, divulgação e o fomento do mercado regional, por meio da exposição de produtos do comércio, indústria, serviços locais, regionais e nacionais. A Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) participa desta 17ª edição apresentando as ações do Governo do Estado na área da indústria e comércio, como o adensamento das cadeias produtivas trabalhadas pela Seinc, entre elas, as da avicultura, da carne e do couro e do gesso; os programas que fortalecem e incentivam as empresas maranhenses e as possibilidades de bons negócios gerados pelo Parque Empresarial de Imperatriz.

Imperatriz é considerada a capital do comércio atacadista da região sul do estado. A cidade abastece toda a região, em torno de 37 municípios (sul do Maranhão, Pará, Tocantins), um diferencial geoeconômico que pode colaborar para o crescimento das empresas que se instalarem na cidade. Com a finalidade de incentivar a instalação de mais empresas na região, o Governo do Estado investiu na modernização do Novo Parque Empresarial de Imperatriz. As empresas já aprovadas para instalação no Parque irão gerar 434 novos postos de trabalho, com investimentos de R$ 8,2 milhões. Durante toda a Fecoimp, técnicos da Seinc estarão fornecendo orientações quanto aos procedimentos para a aquisição de lotes do Parque Empresarial de Imperatriz.

Quem visitar a Feira poderá conferir o resultado de umas das ações para o adensamento da Cadeia Produtiva do Couro: bolsas, sapatos, cintos, carteiras, selas, entre outros produtos em couro, confeccionados na Região Tocantina, que vem abastecendo o mercado interno e outros estados e estarão expostos durante a Feira. Tudo produzido por alunos e ex-alunos, recentemente formados pelo curso de Beneficiamento do Couro, do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia – Iema Couros, Unidade Vocacional, em Governador Edison Lobão (Ribeirãozinho), implantado pelo Governo do Estado, em uma parceria entre a Seinc com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e com o Sindicato das Indústrias de Curtimento de Couros e Peles (Sindicouros), visando atender a demanda por qualificação profissional na região.

O gesso agrícola, produto fabricado pelo Polo Gesseiro de Grajaú, é destaque na agricultura nacional, por proporcionar excelente produtividade às culturas de grãos e na pastagem da agropecuária, apresentando um melhor custo/benefício para o agricultor. Durante a feira serão apresentados este e outros produtos derivados da gipsita – matéria prima do gesso – tanto para a agricultura quanto para a construção civil.

Nos dias 15 e 16, será apresentada a palestra sobre um dos programas do Governo do Maranhão que vem transformando a realidade das compras públicas do estado: o Programa Compras Governamentais do Maranhão. No âmbito do Programa, o Governo do Estado disponibiliza o “Portal de Compras Governamentais”, uma importante ferramenta virtual, por meio da qual são disponibilizadas informações e realizados os procedimentos licitatórios do Governo do Estado. É por lá que o empresário sabe sobre as licitações governamentais e pode se cadastrar e participar. O Programa fortalece as empresas maranhenses, fazendo com que esses empreendedores possam apresentar seus produtos e serviços. Uma oportunidade que gera uma rede de negócios. O resultado é que, atualmente, 87% das empresas que ganharam os processos licitatórios do estado são maranhenses.

Conheças algumas das Cadeias Produtivas trabalhadas pela Seinc na Fecoimp:

Cadeia Produtiva do Gesso

Durante o evento, o público poderá conhecer mais sobre as atividades realizadas no Polo Gesseiro de Grajaú, onde as reservas inseridas de gipsita – a matéria prima do gesso – são em grande quantidade e excelente qualidade, fatores que colaboram para que o Maranhão seja o segundo maior produtor de gesso do Brasil (350 mil t/ em 2017) e que possa aumentar em dez vezes a produção, até 2013, a fim de atender à demanda de mercados consumidores, como o estado de Mato Grosso, cujo agronegócio requer grande quantidade de gesso agrícola (elemento indispensável para ganho de produtividade sem interferir no ph do solo, ao mesmo tempo  que aproveita os nutrientes e água disponíveis no ambiente) para as culturas e pecuária, e São Paulo, potencial consumidor de gesso para a construção civil. As condições geológicas, mão de obra experiente e o sistema multimodal de logística, ferroviário, e hidroviário, via Porto do Itaqui, permitem que o estado tenha vantagens competitivas. A previsão é a geração de aproximadamente 25 mil empregos, entre diretos e indiretos nos próximos dez anos, e a partir de 2020, uma movimentação comercial de R$1 bilhão ao ano.

Cadeia Produtiva da Avicultura

Outro setor em expansão no estado que terá destaque na Feira é o da Avicultura Industrial. No Maranhão são consumidos 10 milhões de kg de frango ao mês, mas somente três milhões de quilos são produzidos no estado. Uma realidade que vem se modificando desde a implantação, em 2015, pelo Governo do Estado, do programa “Mais Avicultura”, que possibilitou um aumento de 17% na produção interna de aves. Antes do Mais Avicultura, as empresas produziam frango no Maranhão e abatiam nos estados vizinhos, retornando com frango já abatido para a comercialização. Com o Programa, as empresas investem na verticalização dentro do estado, ou seja, passam a comprar a produção dos avicultores do Maranhão e a abater as aves aqui mesmo. O setor da avicultura industrial se consolida por meio de três grandes corredores de produção de aves, com estimativa de geração de 30 mil empregos diretos e indiretos, com a implantação de 8 novos empreendimentos.

Somente no Corredor Leste, que contempla as cidades de Coroatá, Santa Inês, Vargem Grande, Chapadinha, Itapecuru Mirim e Capinzal do Norte, a instalação do abatedouro da Frango Americano, em Coroatá, irá gerar 12 mil empregos, entre diretos e indiretos para a região. Já em Capinzal do Norte a Canindé Frangos irá implantar o 1º abatedouro de aves com serviço de inspeção estadual. Na região sudoeste, que já possui aviários, há o projeto de construção de uma fábrica de ração no município de Porto Franco e diversos aviários deverão se instalar nestas e outras cidades do estado.

SERVIÇO
O quê: Governo terá estande na 17ª Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz – Fecoimp 2017.
Quando: Desta quarta-feira (13) até sábado (16).
Onde: No Centro de Convenções de Imperatriz –  Rua Marechal Hermes da Fonseca, 32, no Centro de Imperatriz – MA.
Contato: Ascom Seinc – Daniele Calvet – (98) 98818- 9121 / Mayara Rêgo –  (98) 99152- 4850.

Comentários

Comentários