Governo realiza Oficina Chefes Mirins para crianças da Cooperativa da Ceasa de São Luís

Oficina crianças Cooperativa da Ceasa, em São Luís (Foto: Divulgação)

A Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes) realizou a Oficina Chefes Mirins para 30 crianças, de 4 a 12 anos, da Cooperativa da Ceasa, em São Luís. Durante a ação houve, também, atividades voltadas para os pais das crianças, que foram atendidos por nutricionistas para avaliação nutricional e exame de glicemia.

Kellen Gomes, de 9 anos, gostou da oficina e disse que aprendeu muita coisa sobre como se alimentar da forma correta. “A gente fez muita coisa gostosa com frutas e chocolate, achei muito legal porque aprendemos também a comer direito e evitar várias doenças”.

Com o tema da Páscoa, a oficina foi um espaço de orientação para os benefícios que uma alimentação saudável proporciona à saúde e quais os riscos em se consumir alimentos embutidos e enlatados. As crianças também aprenderam os cuidados com a higiene pessoal e dos alimentos.

Lourdes de Sousa, de 63 anos, levou a neta para participar da oficina e aproveitou para fazer o teste de glicemia. “Eu sou diabética e conversei com a nutricionista sobre uma alimentação adequada para controlar os meus problemas de saúde. Essa ação é maravilhosa porque evita ter que enfrentar filas para marcação e esperar muito tempo para a consulta chegar. Aqui o atendimento é rápido e de qualidade”, disse.

A Sedes já realizou mais de 50 edições da Oficina Chefe Mirins pelo Maranhão. Com essa ação, o consumo de alimentos saudáveis é estimulado junto com a importância de higienizar alimentos, desenvolver a capacidade analítica e interpretativa da criança como coordenação motora e percepção visual, tátil, olfativa e gustativa.

A secretaria adjunta de Segurança Alimentar da Sedes, Lourvidia Caldas, informou que a oficina colabora para que as crianças reconheçam o produto industrializado como um alimento menos nutritivo e menos necessário ao seu desenvolvimento.

“Durante a ação, nós identificamos as preferências alimentares dos alunos e os incentivamos a identificar cores, texturas e os diferentes sabores de alguns alimentos. Além da etapa teórica, temos a prática, com a montagem de espetinho em frutas em conjunto com as crianças e brincadeiras dirigidas”, informou Lourvidia Caldas.

A gastrônoma da Sedes, Lays Tavares, responsável pela oficina, explicou que o foco da segurança alimentar é conscientizar as crianças de que alimentação saudável não é ruim, mas, sim, necessária.

“Trabalhamos com o chocolate para que o aprendizado se torne mais divertido, para que eles aprendam que uma alimentação adequada é se alimentar bem, de forma saudável e consciente, evitando várias doenças como consequência de uma má alimentação”, explicou a gastrônoma.

Comentários

Comentários