Hospital Carlos Macieira realiza Oficina Natalina com pacientes e acompanhantes

    Oficina de Decoração Natalina no Hospital Dr. Carlos Macieira. (Foto: Divulgação)

Oficina de Decoração Natalina no Hospital Dr. Carlos Macieira. (Foto: Divulgação)

Dentro das ações de humanização do atendimento ao usuário, o Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), da rede da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promoveu a Oficina de Decoração Natalina, nesta quinta-feira (7), em uma das áreas de convivência da unidade. Orientadas pelas psicólogas Roberta Oliveira e Poliana Braga, as pacientes e acompanhantes confeccionaram bolas decorativas de natal.

“Os usuários são receptivos às atividades externas a enfermaria, pois são ações que amenizam o sofrimento trazido com a hospitalização, melhorando a coordenação motora, a memória e a interação social entre eles, além da autoestima também”, avaliou a psicóloga Roberta Oliveira, que explicou que, também, são realizadas oficinas de pintura e atividades lúdicas como confecção de chaveiros e pompons de lã.

De acordo com a psicóloga Poliana Braga, o objetivo da atividade lúdica é melhorar a qualidade de vida dos pacientes durante a internação hospitalar. “Ocupar o tempo deles aqui dentro é um mecanismo de tratamento também. E é gratificante quando eles pedem por novas atividades ou quando, mesmo após terem alta, voltam para agradecer por termos realizado esse tipo de ação”, disse.

A paciente Margarida Cardoso ressaltou que a atividade ajuda a relaxar a mente. “Essa é a primeira vez que participo de uma oficina de decoração, achei divertido e bem interessante”. Já Dayane Martins lembrou que os conhecimentos aprendidos podem ser multiplicados fora do hospital. “É muito bom participar, pois esse trabalho acaba distraindo e alegrando a gente. Além disso é um aprendizado para toda a vida”, disse.

A acompanhante Ivaneide da Silva também aprovou a iniciativa. “Achei maravilhoso esse trabalho, tanto para os pacientes, como para nós que ficamos acompanhando, o trabalho manual nos deixa mais tranquilos e leves”. “Estou adorando essa ação, é ótimo poder fazer algo diferente aqui dentro”, completou a paciente Flávia Serejo.

Comentários

Comentários