Governo do Maranhão participa de lançamento do programa Futuro na Mão desenvolvido pelo MDS

Ana Gabriela representou o Maranhão no lançamento do programa Futuro na Mão. (Foto: divulgação)

O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes), participou do lançamento do programa Futuro na Mão: dando um jeito na vida financeira, na segunda-feira (14), em São Paulo. Lançado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o programa visa melhorar a gestão do orçamento familiar, quebrar o ciclo da pobreza entre gerações e garantir o bem-estar de milhares de brasileiros beneficiários do Bolsa Família.

A secretária adjunta de Renda e Cidadania da Sedes e coordenadora estadual do Programa Bolsa Família, Ana Gabriela Borges, representou o Maranhão no ato de lançamento do programa, oportunidade na qual destacou o aspecto inovador da iniciativa.

“Acredito que o Futuro na Mão vai causar grande impacto nas famílias que contam com o benefício da transferência de renda para se manter e necessitam de orientação para lidar com a área financeira para que finalmente encerrem o ciclo de extrema pobreza no Brasil. Sem dúvida o programa chega para complementar esse grande auxilio que é o Bolsa Família na vida das pessoas em vulnerabilidade social”, afirmou Ana Gabriela Borges.

Fruto da parceria com a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil), o programa conta com o financiamento do Banco Mundial e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A iniciativa é um incentivo a reflexão e a troca de ideias sobre práticas de educação financeira para mais de 200 mil mulheres beneficiárias do Bolsa Família.

O gestor da Sedes, Francisco Oliveira Júnior, também pontuou a importância do programa como forma de orientação financeira para quem recebe auxílios de transferência renda. “A educação financeira é extremamente necessária para que as famílias sejam bem-sucedidas, porque orienta nas questões relativas à organização e planejamento de sua renda”, frisou Francisco Júnior.

O secretário afirmou que no Maranhão já existe um projeto semelhante ao Futuro na Mão. Trata-se do Mais Renda, lançado pelo governador Flávio Dino com o objetivo de oportunizar a inclusão produtiva de trabalhadores informais, por meio da qualificação profissional e da melhor estruturação de seus pequenos empreendimentos nos ramos da alimentação e beleza. O Mais Renda também oferece aos beneficiários capacitação para que as famílias possam gerenciar da melhor forma a renda adquirida com o empreendimento. Só com essa ação já foram beneficiadas mais de 2 mil pessoas do projeto que foram capacitadas e receberam kit de negócios.

No programa Futuro na Mão, as oficinas de educação financeira são formadas por três encontros realizados nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), no âmbito do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif). Cada encontro possui objetivos específicos e as participantes recebem material para auxiliá-las durante o curso. O material utilizado baseia-se em três eixos: formação de reservas, planejamento financeiro e controle de dívidas.

Na primeira oficina, são entregues os ‘Cofrinhos da Família’, três cofrinhos de papel destinados a armazenar o dinheiro para despesas do dia a dia, emergências e dos sonhos e projetos da família.

Já no segundo ciclo, de planejamento financeiro, as mulheres recebem a ‘Agenda da Família’, com divisórias e adesivos coloridos que ajudam a visualizar as fontes de renda e os tipos de gastos, fazendo uma ‘fotografia financeira’.

Por fim, na terceira parte da capacitação, as participantes recebem a ‘Carteira da Família’, um kit composto por uma carteira e duas cadernetas. As beneficiárias poderão utilizar as cadernetas para anotar as entradas e saídas de dinheiro, compreendendo as dívidas e evitando a inadimplência.

O projeto foi desenvolvido com a participação de mais de três mil beneficiárias do Bolsa Família e cerca de 200 trabalhadores dos Cras de todas as regiões brasileiras.

Este ano, o Futuro na Mão será disponibilizado aos municípios com a capacitação dos técnicos dos Cras e disponibilização dos materiais a serem utilizados nas oficinas. Na primeira fase, que será executada de maio a dezembro deste ano, 560 municípios serão convidados a aderir à iniciativa.

Os critérios adotados para a definição dessas cidades foram: a existência ou planejamento de oferta do Programa de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho (Acessuas Trabalho); o atendimento pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (Paif) de, pelo menos, 100 famílias beneficiárias do Bolsa Família; e a inclusão das capitais e metrópoles. O MDS tem como propósito ampliar gradualmente o acesso ao programa ‘Futuro na Mão’.

Comentários

Comentários