Governo amplia assistência a pacientes recém-nascidos na rede estadual de saúde

Com esse tipo de tratamento, o recém-nascido não apresenta queda da pressão arterial média e o fluxo sanguíneo é redirecionado para áreas com melhor circulação. (Foto: Divulgação)

Com esse tipo de tratamento, o recém-nascido não apresenta queda da pressão arterial média e o fluxo sanguíneo é redirecionado para áreas com melhor circulação. (Foto: Divulgação)

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), reforçou a assistência a pacientes recém-nascidos na rede estadual de saúde. O tratamento, que utiliza o óxido nítrico inalatório, está disponível desde o início de setembro para bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão e do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, em São Luís. O método é de extrema importância para tratar doenças graves relacionadas à hipertensão pulmonar em recém-nascidos (RNs) prematuros.

“É um tratamento de primeira linha dentro do que há de mais moderno no tratamento de RN com hipertensão pulmonar. Vamos melhorar a sobrevida dos pacientes e diminuir a mortalidade dos bebês que passam pelas nossas UTIs. O óxido nítrico inalatório tem vantagens em relação a outros medicamentos porque atua como vaso dilatador de forma seletiva, exclusivamente nos pulmões”, explicou o médico Edson Cunha, diretor geral da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão.

Com esse tipo de tratamento, o recém-nascido não apresenta queda da pressão arterial média e o fluxo sanguíneo é redirecionado para áreas com melhor circulação. Além desses ganhos, a utilização do óxido nítrico reduz o tempo de internação e aumenta as chances de recuperação. Sua utilização é indicada no pré e pós-operatório sempre com monitorização rigorosa.

“A Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão e o Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos são as primeiras unidades de Saúde da região do Meio-Norte a utilizar essa medicação de ponta. Além da UTI neo, na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, especificamente, há também a possibilidade de uso na UTI adulto em pacientes com patologias que podem acometer também as gestantes, como alguma doença pulmonar obstrutiva”, completou Cunha.

A supervisora de enfermagem da UTI neonatal da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, Kátia Dejane Pereira, destacou que o medicamento é recomendado para bebês com idade gestacional superior a 34 semanas. “Sua utilização depende de uma análise do médico e do fisioterapeuta. De acordo com o padrão respiratório do bebê, eles indicarão quanto o paciente pode receber de óxido nítrico”, afirmou. A maternidade possui sete máquinas para fazer os atendimentos.

Juvêncio Mattos

Outra unidade que também está equipada com o novo recurso é o Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos. A diretora administrativa da unidade, Andreia Oliveira, destacou a importância desse avanço na prestação do serviço de saúde no Estado. “É um tratamento que vai favorecer o reestabelecimento dos pacientes de forma segura. A equipe está feliz com esse recurso que será empregado no tratamento de pacientes da UTI neonatal”, frisou. O hospital conta com seis máquinas.

O Instituto Acqua é responsável pela gestão da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão e do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos.

Comentários

Comentários