Saúde fiscal do Maranhão melhora na comparação com 2014, mostra Tesouro Nacional

O mais recente Boletim de Finanças divulgado pelo Tesouro Nacional mostra que o Maranhão tem saúde fiscal mais sólida do que tinha em 2014. Ou seja, o dinheiro público vem sendo administrado de maneira mais eficiente pela atual gestão.

Em 2014, a nota da Capacidade de Pagamento (Capag) do Maranhão era C. Segundo o boletim do Tesouro divulgado na quarta-feira (6), o Maranhão agora tem uma nota B, desempenho que vem se mantendo desde 2015.

Segundo a classificação do Tesouro Nacional, as notas A e B indicam boa situação fiscal. Já os conceitos C e D sinalizam o contrário. O Tesouro Nacional é um órgão do Governo Federal.

Ou seja, entre 2014 e 2017, o Maranhão passou de uma situação ruim para um cenário adequado.

As notas A e B permitem que os governos estaduais tenham garantia da União para contrair novos empréstimos. O mesmo não acontece com as notas C e D.

Diversos estudos vêm mostrando a solidez fiscal do Maranhão. Entre eles, está um levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) mostrando que o Maranhão tem a segunda melhor situação fiscal do país.

Ao mesmo tempo em que mantém o equilíbrio fiscal, o Governo do Maranhão tem ampliado investimentos. Ou seja, mesmo sem gastar mais do que pode, o Estado vem aquecendo a economia e gerando empregos.

Comentários

Comentários