Startups ganhadoras da Agro Hacka Imperatriz serão pré-aceleradas

Agro Hacka Imperatriz (Foto: Divulgação)

A primeira hackathon da Região Tocantina foi um sucesso. A Agro Hacka Imperatriz, promovida entre os dias 26 e 28 de abril pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) no âmbito do Programa Inova Maranhão, teve a participação ativa de cerca de 170 pessoas entre componentes das equipes, mentores, equipe de organização, jurados, entre outros.

Foram cerca de 54 horas de imersão com o objetivo de promover a criação de novas tecnologias e novos negócios por meio da solução de desafios locais do agronegócio do Maranhão.

Durante a maratona de inovação, realizada na Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UemaSul), foram propostas ideias e soluções de impacto nos eixos temáticos: Saúde e Sanidade Animal, Sustentabilidade e Inovação, e Gestão e Manejo.

O evento contou com a participação e parceria de diversas instituições locais como: UemaSul, IFMA, UFMA, SEBRAE, SENAI, FACIMP Pitágoras, entre outras instituições.

Divulgação

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles, acompanhou todo o evento e destacou a importância do uso de novas metodologias para alcançar grandes resultados na região: “O agronegócio é a vocação da região, por isso a necessidade de usarmos novos métodos para obtermos grandes resultados, com o objetivo principal de solucionar problemas do agronegócio por meio da inovação e trazer mais desenvolvimento para a Região Tocantina”, explicou o secretário.

A reitora da UemaSul, Elizabeth Nunes Fernandes, destacou a importância de receber o evento na instituição: “Estamos felizes por sediar este evento de grande relevância para nós, porque a inovação faz parte da nossa política enquanto universidade, além da importância para população e desenvolvimento regional”, concluiu.

Protótipos e premiação

Foram apresentados 12 protótipos dentro das temáticas propostas. O primeiro, segundo e terceiro lugares ficaram com:

1°- Pac App – Prag Al Control: software com inteligência artificial (I.A) para detecção de pragas em fitas adesivas utilizando parâmetros de reconhecimento de imagem para prevenção e alertas de nível de presença de mosca branca nas produções.

2°- Tanqtech: solução integrada para monitoramento da qualidade da água na piscicultura baseada nos indicadores, temperatura, oxigenação e outros.

3°- Seed Back: solução integrada de hardware e software que monitora as condições de armazenamento e apresenta catálogo com os melhores locais para armazenamento disponíveis.

– Menção honrosa – Agro Soft+: sistema integrado de hardware e software que mede condições de umidade e temperatura do solo para gestão de controle do surgimento de nematóides na produção de soja.

Conheça os demais protótipos:

– Techcan: sistema integrado de telhas termoacústicas para recuperação de água de chuva em ventilação e para melhor trato dos animais.

– MDP: software de gestão de pragas que permite a coleta de dados, o referenciamento e a busca pelo melhor método que solucione o problema de pragas, de maneira digital, diminuindo custos.

Agro Hacka Imperatriz (Foto: Divulgação)

– Idubo: software no modelo marketplace que permite a comercialização de resíduos para compostagem.

– Cultivar: software no modelo marketplace que busca conectar o produtor diretamente ao consumidor reduzindo custos ao produtor e oferecendo produtos mais baratos ao consumidor final.

-H2O: solução integrada que mede o nível de umidade do solo, prevenindo o desperdício de água e reduzindo custos de produção.

– Siraque – Rastreamento Inteligente de Cargas: hardware que comunica com uma aplicação (app) para monitoramento de peso na saída e na chegada, além de monitoramento em tempo real da localização da carga.

– Agrotools: marketplace de aluguel de máquinas para utilização de maquinário agrícola parado da região.

– Adform: software que fornece dieta adequada para o manejo eficiente do gado de corte, mas que também atende gado leiteiro e touros reprodutores.

Para Aline da Silva Santos, estudante do Curso de Agronomia da UemaSul e membro da Pac App – Prag Al Control, o primeiro lugar foi apenas uma consequência da ótima experiência: “Essa foi a minha primeira vez em um evento desse tipo e eu pude descobrir minha alma empreendedora. O primeiro lugar foi uma consequência do aprendizado nesses três dias”, ressaltou.

John Handerson, integrante da Seedback, startup ganhadora do terceiro lugar, parabenizou a iniciativa: “Foi uma experiência espetacular e eu gostaria de parabenizar o Governo do Estado por essa iniciativa. O acompanhamento dos mentores foi decisivo para que tivéssemos um bom resultado”, destacou.

Pré-aceleração

Após a Agro Hacka, as startups premiadas serão acompanhadas e pré-aceleradas durante dois meses, visando a aplicação real da solução elaborada. Após o período de pré-aceleração haverá o Demo Day, a apresentação dos modelos de negócios para investidores.

Comentários

Comentários