“Somente com a educação podemos mudar o mundo”, diz aluno da rede estadual aprovado na UEMA

Aluno do Centro de Ensino Luiz Montenegro Tavares, escola da rede pública estadual em Coroatá, Ednaldo é um dos quatro jovens daquela escola aprovados na UEMA, e que cursará Licenciatura em História. (Foto: Divulgação)

A educação em seus mais diversos aspectos, forma e transforma vidas. Prova disso é o caso do jovem Ednaldo da Silva Lima Junior, de 19 anos, que conseguiu, por meio dos estudos, transformar sua história e buscar a melhoria da qualidade de vida, também, das pessoas da sua comunidade.

Aluno do Centro de Ensino Luiz Montenegro Tavares, escola da rede pública estadual em Coroatá, Ednaldo é um dos quatro jovens daquela escola aprovados na Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), e que cursará Licenciatura em História.

A identificação com o curso começou de forma inusitada, através de um jogo de vídeo game. “Eu jogava um jogo ambientado na 2º Guerra Mundial e, a partir daquele momento, eu passei a me interessar pelo assunto, comecei a estudar e me aprofundar cada vez mais”, disse Ednaldo.

Mas foi aos 14 anos, quando ainda aluno do 9º ano do ensino fundamental, que o estudante assistindo às aulas da disciplina percebeu que poderia unir a sua paixão pelo estudo com a arte de lecionar.
“Me identifiquei muito com as aulas e a metodologia do ‘professor Rodrigo’, de uma forma completamente descontraída ele me mostrou que só a educação pode nos levar a algum lugar”, relata.

Porém, aos 16 anos, o jovem descobriu ser portador do Ceratocone, uma doença ocular que desfoca a visão e, gradativamente, leva à cegueira. “No início, a descoberta da doença foi muito complicado, eu entrei em depressão e pensei em desistir, mas encontrei na leitura a força que precisava para mudar a minha realidade e, por que não, mudar a realidade das pessoas da minha comunidade também”, afirma o estudante.

Segundo Ednaldo o que contou bastante para essa mudança de atitude foi, mais uma vez, o relacionamento e, principalmente, o apoio que encontrou nos professores do C. E. Luiz Montenegro Tavares. “Eu não vejo o professor apenas como um profissional, e sim como um amigo. E a partir do momento em que esse laço fica mais próximo, fica mais fácil também o aprendizado”, diz ele.

O estudante conta que quando começou a estudar no C. E. Luiz Montenegro Tavares a situação da escola era precária e foi graças ao trabalho do Governo do Estado em revitalizar a escola e dar melhores condições de estudo e aprendizado aos alunos, e de trabalho aos professores e servidores da escola, que a realidade da unidade escolar se transformou.

“A partir desse momento passamos a ter merenda todos os dias, segurança, biblioteca funcionando, programas de incentivo ao aluno, grêmio estudantil, colegiado escolar. E essas melhorias refletiram no resultado dos alunos da escola, conseguimos melhorar nosso desempenho”, conta Edinaldo.

A gestora geral da escola, Virgínia Ingrid Lima Meneses, relata que, por conta dos problemas estruturais, os alunos estavam bastante desmotivados quanto às atividades que aconteciam na escola.
“Usamos a presença e uma gestão democrática dentro da escola, sempre buscando conversar e trazer a participação dos alunos, pra que nós pudéssemos proporcionar à eles um ambiente escolar que motivasse o estudo”, disse a gestora.

Virginia conta ainda que os próprios alunos foram responsáveis por auxiliar nessa mudança de cenário, tendo ajudado, inclusive com campanhas de arrecadação de livros para a revitalização da biblioteca da escola.

“Eles mesmos arrumaram tudo e nós ajudamos na divisão das responsabilidades. Quando você integra o aluno, faz com que ele se sinta em casa e cuide do que é dele. E o resultado que recebemos de volta são a melhoria do desempenho escolar e, consequentemente, as aprovações em vestibulares e concursos”, relata ela.
Para a gestora, só a partir de uma gestão participativa e através do esforço coletivo é possível galgar os resultados almejados tanto por alunos quanto por docentes e funcionários envolvidos no processo de ensino aprendizado.

“Se todos vestirem a camisa da educação, ganha a comunidade escolar, ganha todo mundo. A nossa felicidade, enquanto gestão, é ver nossos alunos brilhando. Com nossos alunos no caminho da educação, podemos afirmar que cumprimos nossa missão de escola, que é entregar para a sociedade cidadãos críticos, reflexivos e que serão excelentes profissionais”, reafirma Virgínia Meneses.

Para Ednaldo o sentimento é de gratidão, tanto aos professores pelos ensinamentos repassados ao longo da caminhada escolar, quanto pelo apoio da Secretaria de Educação na busca pela melhoria das condições estruturais e pedagógicas da escola.

“Quero parabenizar toda a Secretaria de Educação e o governo Flávio Dino por, prontamente, atender ao nosso apelo e mudar a situação da nossa escola e a realidade da nossa comunidade escolar”, finaliza Ednaldo.

Comentários

Comentários