“O IEMA transformou minha vida”, diz aluna surda em colação de grau

Formandos do IEMA na solenidade de colação de grau

“O IEMA transformou a minha vida e me ajudou a construir meu projeto de vida. Foi muito especial estudar aqui, me sinto preparada para o futuro”, disse, emocionada, a estudante Laise Allana, primeira aluna surda do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA)

O depoimento, dado por meio da intérprete Lena Barcelos, aconteceu durante a colação de grau dos alunos da unidade plena São Luís-Centro, na quarta-feira (30), no auditório da unidade.

Alana relatou que, além de ser a primeira aluna surda do IEMA, durante o primeiro ano foi a única. “Isso me assustou muito, mas ao ingressar no Instituto, pude perceber de cara que é uma escola inclusiva e que me trouxe todas as oportunidades que eu poderia ter”.

A estudante também foi a primeira surda a competir e ganhar premiações na robótica, um sonho que nutria desde criança. “Um dos marcos da minha trajetória foi realizar o meu estágio e começar a ter contato com minha área de atuação”, acrescentou.

Laise, que se tornou técnica em meio ambiente, se soma aos 112 colegas que também receberam o grau de técnicos nos cursos de eventos, informática e serviços jurídicos. Do curso técnico em informática foram 27 alunos; 30 foram do curso técnico em eventos; 23 do curso técnico em serviços jurídicos, e 33 estudantes se tornaram técnicos em meio ambiente.

Em seu discurso o reitor do IEMA, Jhonatan Almada, ressaltou a importância dos docentes para a concretização de um ensino de excelência. “Esta colação de grau do IEMA ocorre no marco de quatro anos de vida institucional completados dia 2 de janeiro de 2019. Foi uma longa e trabalhosa jornada para chegarmos a este dia. Agradeço ao governador Flávio Dino que criou o Instituto, e aos pais por se juntarem a nós nessa missão”, ressaltou.

Segundo o diretor de Ensino e Pesquisa, Elinaldo Silva, a cerimônia de colação de grau é um momento de júbilo. “É algo singular e glorioso, pois os alunos saem preparados para o mercado de trabalho e, também, para a vida acadêmica se assim preferirem, ou para serem empreendedores”, disse.

“A formatura é o coroamento de um trabalho que a escola, reitoria e diretorias realizaram em favor desses estudantes. Temos a certeza que terão um futuro brilhante”, frisou Elinaldo.

“Estou muito emocionado e, nesse momento, me lembro de um dos primeiros discursos que fiz em 2016, logo que iniciamos as aulas”, contou o gestor geral da unidade plena São Luís-Centro, Moisés Sá.

“Espero que nossos técnicos sejam homens e mulheres bem sucedidos. Agradeço a reitoria do IEMA, aos professores, pais e responsáveis. Tenho certeza que todos estão saindo da escola preparados para o futuro”, completou Moisés.

O próximo grupo a colar grau é da unidade plena de Pindaré-Mirim, a terceira unidade. No total, são 87 formandos. Eles concluíram o ensino médio em agropecuária, recursos pesqueiros e serviços jurídicos. A solenidade de colação de grau acontece nesta quinta-feira (31).

Colações

A primeira turma a colar grau foi a unidade plena de Bacabeira, no dia 4 de janeiro. Cento e vinte três estudantes colaram grau na unidade. Além de concluir o ensino médio, eles saíram da escola técnicos em administração, logística e mineração.

Comentários

Comentários