Jovem Embaixadora Maranhense retorna de jornada de 28 dias nos EUA

Amanda Barros com outros Jovens Embaixadores nos EUA. (Foto: Divulgação)

“Foram momentos incríveis, conheci pessoas maravilhosas, vivi experiências fantásticas, que eu nunca imaginei que vivenciaria. Foi, principalmente, um momento de autodescoberta, de descobrir o nosso próprio potencial, o nosso poder no mundo, o nosso poder de mudança, do voluntariado, poder da empatia”. O depoimento é de Amanda Barros, a estudante do Centro de Ensino Paulo Ramos, escola da Rede Estadual de Ensino, no município de Chapadinha, ao vivenciar uma experiência ímpar nos Estados Unidos, como Jovem Embaixadora 2019.

No Maranhão, além de Amanda Barros, da rede estadual de ensino, o estudante Arthur Silas Melo, do Instituto Federal do Maranhão – Campus Imperatriz, também teve a oportunidade de vivenciar essa jornada enriquecedora. No total 50 estudantes de todo o país foram selecionados pela Embaixada Norte Americana para participar do Programa Jovens Embaixadores 2019.

Amanda Barros e outros 49 estudantes retornaram no domingo (3), depois de passarem 28 dias nos Estados Unidos. Nesse período, a primeira parada do grupo foi em Washington D.C., onde participaram de reuniões com autoridades do governo dos EUA, líderes comunitários, fizeram workshops sobre liderança, voluntariado, empatia e justiça social.

Em seguida os estudantes foram divididos em grupos menores e encaminhados para host citys (cidades anfitriãs), onde ficaram hospedados em casas de famílias voluntárias. Amanda Barros foi para Lowell, no Quentec, onde esteve em escolas, participou de projetos de voluntariado, conheceu ativistas sociais e visitou pontos turísticos.

“Um dos momentos mais emocionantes foi conhecer a Instituição Youth Build, que a gente visitou em Lawell, onde eles ajudam pessoas que, por algum motivo saíram da escola, geralmente por conta de drogas ou por gravidez. Os voluntários ajudam essas pessoas para de alguma forma voltarem para a escola, entrarem para a universidade. É lindo, eles ajudam, inclusive, moradores de rua, pessoas sem teto, isso faz com essas pessoas sejam empoderadas a seguir a vida delas, de poder voltar aos estudos e ter uma vida mais digna. Aquele dia foi muito marcante para mim, e para todos”, disse Amanda Barros.

Ao fim da jornada, os estudantes apresentaram planos de ação na área de voluntariado que serão implementados em suas comunidades, após o retorno ao Brasil. Amanda Barros apresentou um projeto voltado para o Meio Ambiente, chamado de ‘EmpaTree’.

“O nome vem de ‘empatia’ junto com ‘tree’, que é árvore em inglês. De alguma forma, quando a gente pensa em empatia, só pensa em humanos, em relações sociais, mas, a gente esquece de valorizar o ambiente em que vivemos. E com esse projeto, eu quero, de alguma forma, trazer uma consciência maior para as pessoas sobre os nossos hábitos, sobre como podemos impactar o meio ambiente de alguma forma, mudando sempre as coisas do nosso cotidiano. Nesse projeto eu estou junto com a Fernanda, que é do Pará, só que ela vai aplicar na comunidade dela e eu vou aplicar na minha”, destacou a jovem estudante.

Satisfeita com a experiência, Amanda Barros agradeceu a escola e familiares. “Tudo isso só foi possível com muito esforço, dedicação, com apoio da minha família, da minha escola e da Unidade Regional de Educação (URE) de Chapadinha, que me ajudou muito em todas as etapas. É só gratidão!”.

O Programa

O Programa Jovem Embaixador foi criado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. É destinado a jovens de 15 a 18 anos de idade, que cursam o Ensino Médio na rede pública e que são exemplos em suas comunidades, por meio de sua liderança, excelência acadêmica e conhecimento da língua inglesa. O programa é patrocinado pela Missão Diplomática dos EUA, por parceiros privados e pelas Secretarias Estaduais de Educação.

1º Lugar em Direito na UFMA

Amanda Barros comemora a experiência nos EUA e a aprovação para Direito na UFMA. (Foto: Divulgação)

Para completar o festival de oportunidades e boas notícias, Amanda Barros, quando estava nos EUA, viu, no site do Sisu, que havia sido aprovada para o curso de Direito, matutino, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mais que isso, conquistou o 1º lugar no ranking dos aprovados oriundos de escola pública e conseguiu nota 960 em redação.

“A Amanda tem sido referência como estudante do Ensino Médio da rede pública estadual, que apesar do contexto social ao qual está inserida, tem sempre demonstrado dedicação aos estudos, engajamento em projetos sociais e trabalho voluntário, tem excelentes notas e prova que estudantes da rede pública também podem ter ensino de qualidade. Ela é uma jovem protagonista que tem servido de inspiração para jovens da rede pública que, assim como ela, também, podem ter várias oportunidades. Suas conquistas provam que o ensino público se fortalece a cada dia e que mais estudantes tem sido destaque”, afirmou a coordenadora de Programas de Formação para Cidadania da Seduc, Millena Kelly Costa da Silva.

Comentários

Comentários