Funac e Iema investem na capacitação de socieducandos

Adolescentes no curso de montagem e manutenção de computador (Foto: Divulgação)

Os cursos profissionalizantes oferecidos pela Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), em parceria com o Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), têm sido uma oportunidade de transformar a vida dos socioeducandos e socioeducandas em cumprimento de medidas socioeducativas.

As atividades são realizados dentro dos Centros Socioeducativos e buscam capacitar os adolescentes em diversas áreas que ofereçam oportunidades no mercado de trabalho, como nas áreas de informática básica, pintor de obras, encanador, montagem e manutenção de computadores, manutenção de ar-condicionado, montagem e adequação de espaços net, manicure e pedicure (acrigel) e designer de sobrancelhas.

Em 2018 foram ofertados os cursos de jardinagem, eletrônica básica e artesanato. Ocasião em que 366 adolescentes foram certificados pelo Iema. Em 2019, até a primeira quinzena de maio, 485 socioeducandos em todo o Maranhão já foram capacitados.

“A escolarização e os cursos profissionalizantes representam uma oportunidade única de mudar o destino desses adolescentes. O certificado de um curso ofertado pelo Iema abrirá as portas do mercado de trabalho e contribuirá de forma significativa para a construção de um projeto de vida, além de evitar a reincidência”, afirma a presidente da Funac, Sorimar Sabóia.

Certificação dos adolescentes da Unidade de Timon (Foto: Divulgação)

A coordenadora das unidades vocacionais do Iema, Josélia Castro, fala um pouco da parceria firmada e o quanto tem sido gratificante olhar a evolução dos socioeducandos. “Nós temos aprendido a cada dia. Não vai existir Iema se não existir aluno. Temos um egresso da Funac que agora está fazendo outros cursos pelo Instituto e se qualificando para quem sabe nas próximas turmas ser um dos nossos professores”, frisa.

A diretora técnica da Funac, Lúcia Diniz, explica como foi o planejamento dos cursos dentro das Unidades. “O curso foi focado na realidade da socioeducação, para que o professor tenha condições de acompanhar cada adolescente individualmente, com oficinas produtivas. Vamos focar no estudo, na educação, pois ela que faz a gente avançar”, diz.

A socioeducanda do Centro de Juventude Florescer, 16 anos, relata sua experiência nos cursos profissionalizantes. “Agradeço pela oportunidade de fazer mais um curso, o certificado representa não só mais um aprendizado e sim conhecimento que ninguém vai poder tirar de mim, pois o que ninguém pode tirar da gente é o conhecimento. Quero agradecer ao Iema, à gestão da Funac e da Unidade que sempre nos motivam a fazer os cursos e crescer enquanto pessoa”, agradece.

“O nosso interesse é que o aluno se qualifique e, no final do curso, ele consiga gerar sua própria renda, consiga ingressar no mercado de trabalho. O resultado dos cursos tem sido positivo, a avaliação vinda dos adolescentes também é positiva. Estamos felizes com essa parceria firmada com o Iema. Estamos empenhados e com esses cursos só vai melhorar a qualidade da educação e quando sair da Funac, o adolescente estará qualificado”, pontua a coordenadora das unidades vocacionais do Iema, Josélia Castro.

Comentários

Comentários