Centros Educa Mais realizam semana de atividades para incentivo ao protagonismo juvenil

Estudantes do CEIN Mônica Vale em conversa com Jovem Protagonista sobre os Clubes de Protagonismo.. (Foto: Antônio Martins)

Fortalecer na escola o princípio educativo do protagonismo juvenil, através das práticas e vivências. Este é um dos principais objetivos da Semana do Protagonismo que acontece, até quinta-feira (21), nos 35 Centros Educa Mais, na capital e em cidades do interior do estado.

A ação visa envolver os estudantes na formação de Clubes do Protagonismo, espaços onde os jovens poderão desenvolver competências e habilidades, como: a capacidade de liderança, trabalhar em grupo, tomar decisões, auto-organização, compartilhar conhecimento e ideias, dentre outras.

“A força dos Clubes de Protagonismo reside exatamente no fato de que os interlocutores deles são os próprios estudantes. Então, esses clubes são constituídos pelos próprios estudantes e a partir dos interesses deles próprios. E mostram de uma forma objetiva e concreta, no âmbito escolar, como os estudantes podem caminhar em direção ao processo de construção da sua autonomia. Uma vez que é o espaço em que eles podem se mostrar sujeitos ativos, partícipes das ações e das decisões que acontecem no âmbito escolar”, destacou Fernanda Passos, gestora da Educação Integral.

A semana mobiliza mais de 8 mil estudantes dos 35 Centros de Educação Integral, os chamados Centro Educa Mais, na capital e em cidades do interior. A ação é acompanhada por jovens protagonistas de Pernambuco, estado pioneiro na implantação da educação integral no país. O Centro de Educação Integral Mônica Vale, no Vinhais, recebeu a Jovem Protagonista Mayara Oliveira, da Escola da Escolha de Pernambuco, que é um exemplo concreto de como o protagonismo pode ser transformador.

“O protagonismo foi um divisor de águas em minha vida. Eu nunca imaginei que eu poderia ter vez, ter voz, que as pessoas pudessem me ouvir. O protagonismo traz para a gente o senso de responsabilidade, de maturidade, a consciência de que se você demonstra que merece respeito e confiança, as pessoas vão lhe respeitar vão lhe ouvir. O protagonismo me ajudou a desenvolver tudo o que eu sou hoje: Uma pessoa que sabe o que quer da vida, que tem foco e uma ferramenta para me auxiliar em meu projeto de vida”, disse Mayara.

No primeiro momento, a semana está voltada para um diálogo com os estudantes para amadurecer o entendimento de questões, como: o que é o protagonismo, como ser um Jovem Protagonista, como desenvolver as características de ser autônomo, solidário, competente, responsável e a capacidade de estabelecer limites. No segundo momento, os estudantes apresentam sugestões de criação dos Clubes de Protagonismo. Os temas podem ser os mais variados, desde a área de Química e Física à cultura e o esporte.

No ano passado, os estudantes do CEIN Mônica Vale, assim como as demais escolas de tempo integral, criaram vários clubes que estão ajudando a comunidade escolar a caminhar de forma mais harmônica e produtiva.

A estudante Alana Carla Dantas Campelo, do 2º ano, sabe muito bem os benefícios do protagonismo juvenil. No ano passado, ela e os amigos criaram o Clube de Música, que faz maior sucesso na escola, incentiva e integra a comunidade escolar.

“O Clube de Música trouxe para mim uma interação maior com as pessoas, não só da minha sala, mas, de toda a escola. Ensina a gente a perceber que todo mundo pode fazer algo. Que saiba ou não, basta ter um pouco de habilidade e de interesse. E a gente vai descobrindo na prática o que é ser Jovem Protagonista, a seguir com os nossos objetivos, ser o ator principal da nossa história. E a ‘Semana do Protagonismo’ é um estímulo importante para descobrirmos potencialidades”, revelou.

Já o estudante Eduardo Reis escolheu o Clube de Lutas. Virou atleta do Jiu Jitsu e já tem boas histórias para contar como Jovem Protagonista. “O primeiro ano no Clube de Lutas trouxe muita coisa positiva para mim e para os outros estudantes. Mudou a minha forma de pensar, por exemplo. Hoje eu penso em passar para os outros colegas aquilo que eu sei. E a gente vai aprendendo que, tudo o que se faz na escola tem um porquê, não é só fazer por fazer”, ressaltou Eduardo.

“Com os clubes, nós percebemos que o estudante passou a se valorizar mais, perceber a importância dele dentro da escola e na vida. O estudante que está no clube passa a entender que ele pode contribuir com a gestão escolar, porque esse é um trabalho de parceria. E ele passa a se reconhecer como importante no processo, nas suas escolhas e na construção do seu projeto de vida”, destacou Simone Silva Santos, gestora pedagógica do CEIN Mônica Vale.

Comentários

Comentários