Aluna surda do IEMA de Pindaré é aprovada para licenciatura em matemática

Bianca Souza destaca importância do IEMA para acesso à universidade (Foto: Divulgação)

“Antes de estudar no IEMA eu não pensava em como seria meu futuro. Depois que conheci o projeto de vida aqui do Instituto tudo mudou, apesar das dificuldades do dia a dia, entendi que sou capaz de realizar meus sonhos e ser o que eu quiser. Tudo que estou conquistando devo aos meus professores, às intérpretes e todo o modelo do IEMA. Eu nunca precisei me sentir diferente dos demais alunos. E sempre fui incentivada a nunca desistir dos meus sonhos”, declarou entusiasmada a ex-aluna Bianca Souza, através da intérprete Paula Almeida.

Bianca é a primeira aluna surda da unidade plena de Pindaré-Mirim do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) que foi aprovada para licenciatura em Matemática no Instituto Federal do Maranhão (IFMA), campus Zé Doca. Ela conta que ficou surpresa e emocionada com a notícia da aprovação para o ensino superior.

“Ao ver meu nome na lista fiquei surpresa, mas fiquei muito feliz. Fiquei muito contente quando meus amigos me enviaram mensagens me parabenizando, pois me senti importante e percebi o quanto as pessoas acreditavam em mim. Como toda experiência, tenho certo medo do que vem pela frente, mas com o apoio de todos sei que vou conseguir. Desejo me formar e servir de exemplo para meus amigos surdos e quem sabe futuramente ajudar na alfabetização de pessoas surdas”, destacou.

De acordo com o reitor do IEMA, Jhonatan Almada, uma educação pública de excelência é sinônimo de inclusão. “Oportunizar a todos uma educação que os permita ir além da sua origem social e das limitações impostas pelas desigualdades. O exemplo da Bianca reflete essa crença e os resultados concretos que o IEMA alcança com seu modelo pedagógico que visibiliza os projetos de vida dos estudantes, e nos leva a ver, a sentir e a vibrar com conquistas como essa”, afirmou.

“Meu sentimento foi de emoção e missão cumprida, pois Bianca é muito especial para mim. Essa conquista dela representa muito para todos nós que fazemos parte da educação especial. Acompanhar nossos estudantes evoluindo e seguindo suas carreiras tem um grande significado”, relatou Paula Almeida, intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) que acompanhou Bianca durante todo ensino médio.

Bianca Souza relatou ainda que o Instituto é uma escola inclusiva e está de portas abertas para atender os estudantes com deficiência. “Aqui no IEMA tudo é especial, desde o acolhimento. Fui recebida por jovens protagonistas e também por toda a equipe de intérpretes que, junto aos professores, se preocuparam muito com o aprendizado do aluno, e esse acompanhamento faz toda a diferença. Agradeço aos meus professores Samy Marques e Elean Cordeiro que me ajudaram muito e me apresentaram a matemática de maneira diferente, dinâmica, e com certeza fez toda diferença na minha escolha”, frisou a estudante ressaltando sua gratidão às intérpretes Paula Almeida e Obenilda Lima. “As minhas intérpretes foram fundamentais, através de suas mãos eu pude ver o mundo que antes nunca tinha imaginado”, completou.

Comentários

Comentários