Unidades da Funac realizam campanha de imunização

Servidor da Funac é imunizado contra a gripe H1N1 (Foto: Mireya Matos)

A Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) realizou, nos espaços socioeducativos da Fundação, o calendário de vacinação contra o vírus da Gripe H1N1. A atividade é uma articulação da Funac com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) para efetivar a política de atenção à saúde integral de adolescentes em conflito com a lei.

A campanha em São Luís tem como meta a imunização de 254.958 pessoas. Nas Unidades da Funac, o objetivo da campanha é vacinar toda a comunidade socioeducativa, que inclui internos, equipe técnica, educadores, socioeducadores, além dos professores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que atuam nas Unidades.

Na segunda-feira (13), no Centro de Socioeducativo de Internação Masculina de São Luís, no Centro de Juventude Canaã e no Centro Socioeducativo de Internação do São Cristóvão, 269 pessoas receberam a vacina, sendo 139 adolescentes.

Para a presidente da Funac, Sorimar Sabóia Amorim, a parceria faz parte do trabalho intersetorial conforme previsto no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). “A garantia de serviços de saúde para toda a comunidade socioeducativa é de extrema importância, pois se tivermos adolescentes ou servidores infectados com o vírus da gripe teremos mais custos e mais adolescentes que irão acessar outros serviços de saúde caso a doença se agrave, e que são serviços mais caros para o Estado. Então a prevenção é a melhor saída”.

A equipe de saúde do Centro de Juventude Canaã, representada pelo enfermeiro Ângelo Costa e auxiliar de enfermagem Dinete da Silva, e do Centro Socioeducativo de Internação Masculina de São Luís, representada pela enfermeira Auriane dos Anjos, dialogou com os socioeducandos previamente sobre os cuidados com a prevenção e também de possíveis doenças relacionadas com a gripe.

“Não podemos pensar em atenção básica sem fazer a prevenção. É importante conscientizar toda a população para os riscos dessa doença, que inclusive pode levar o indivíduo a óbito. Saúde também é uma questão de educação”, destacou o enfermeiro, Ângelo Costa.

De acordo com a coordenadora de imunização da Semus, Charlene Luso, a campanha está sendo uma ótima parceria com a Fundação. “Por ser um grupo que fica recluso, num ambiente com várias outras pessoas, tem um risco maior de ficar doente e propagar aos outros. A gripe é uma doença contagiosa e suas complicações podem levar a morte. Essa população faz parte de um grupo de risco que precisa ser protegida e, também, faz parte da nossa meta de vacinação”, afirma.

Comentários

Comentários