Governo mobiliza escolas para V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

Gestores escolares e estudantes do C. E. Maria José Aragão marcam presença na web conferência sobre a V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. (Foto: Antonio Martins)

Nesta semana a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) promoveu, no auditório da UEMANET, uma webconferência com os gestores escolares para esclarecer dúvidas e tratar sobre as etapas da V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente.

A V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que em 2018 tem como tema “Vamos cuidar do Brasil cuidando das águas”, é uma ação de educação ambiental que busca estimular a pesquisa e a participação democrática nas escolas para dialogar e refletir sobre as questões socioambientais.

O coordenador dos Temas Socioeducacionais da Seduc, Luís Câmara, esclarece dúvidas sobre a V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. (Foto: Antonio Martins)

Durante a webconferência foram explicadas as etapas de participação e discutido o tema para esta quinta edição. Participaram: Luís Câmara, coordenador dos Temas Socioeducacionais da Seduc; Conceição Marques, superintendente de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA); Roberto Mauro Gurgel, membro do Conselho Estadual de Educação; Tereza Cristina Pereira Castro, vice-coordenadora do Fórum Nacional da Sociedade Civil nos Comitês de Bacias Hidrográficas (Fonasc); e Maria de Nazareth dos Santos Silva, gerência de Meio Ambiente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

Em seu discurso, além de apresentar o cronograma para a realização da V Conferência, o coordenador dos Temas Socioeducacionais da Seduc, Luís Câmara, falou sobre a importância do evento para a reflexão e fortalecimento da educação ambiental nos sistemas de ensino.

“A Conferência Nacional é um modelo inovador, por ser a única conferência que tem início, primeiramente, na escola. Isso faz com que nossos alunos estudem o tema e esse aprofundamento faça parte de sua formação”, ressaltou Luís Câmara.

O coordenador reforçou, ainda, a importância da mobilização de todas as escolas das redes estadual, municipal e privada, para a participação na V Conferência.

“Essa é uma conferência que integra o país inteiro em torno da questão ambiental envolvendo as escolas. Nós acreditamos que tudo deve começar na escola, a própria questão da cidadania. A escola não deve só preparar para instrumentalizar para o mercado de trabalho, e a educação ambiental é um dos temas que nos prepara para termos uma cidade maravilhosa do ponto de vista natural. Em torno de um aluno, são várias famílias que serão motivadas também para a questão ambiental”, enfatiza Câmara.

Para a superintendente de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), Conceição Marques, a conferência é fundamental porque a consciência ecológica só se desenvolve se as crianças e jovens passarem a conhecer as questões do meio ambiente, não só do ponto de vista do problema, mas também do ponto de vista da solução.

“Na medida em que os estudantes são chamados para pensar coletivamente dentro da escola e em cada espaço em que a conferência se fizer presente, nós teremos resultados na mudança do comportamento desses jovens tanto no ambiente escolar quanto no familiar. E é muito importante também que as famílias fiquem sabendo e se façam presentes nesse processo da preocupação com a questão ambiental”, apontou.

A V Conferência Nacional Infantojuvenil será realizada em Brasília, no período de 15 a 18 de junho deste ano e contará com a participação de aproximadamente 460 delegados e delegadas, entre 11 e 14 anos, de todo país.

Gestores escolares e estudantes do C. E. Maria José Aragão marcam presença na web conferência sobre a V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. (Foto: Antonio Martins)

Etapas para a Conferência Infantojuvenil

A Conferência na Escola é a primeira etapa, momento em que estudantes, professores e demais interessados reúnem-se para dialogar sobre como transformar sua escola em um espaço educador sustentável, aprofundando o debate sobre o tema da Conferência em nível local.

Elas devem acontecer até dia 31 de março e é nessa etapa, também, que são eleitos um delegado ou delegada (e suplente), que precisam estar cursando os anos finais do ensino fundamental até o período da Conferência Estadual e ter entre 11 e 14 anos no período da etapa nacional da V CNIJMA.

Realizadas as Conferências, as escolas devem cadastrar os resultados no site oficial da V Conferência até 3 de abril, momento no qual as escolas se preparam para a segunda etapa, a das Conferências Municipais.

As Conferências Municipais têm como objetivo aprofundar o tema a partir da perspectiva regional; é onde as escolas se reunirão para apresentar e debater os projetos de ação escolhidos nas Conferências nas Escolas, e representarão a unidade escolar na etapa estadual.

Todas essas etapas culminam no quarto e último momento, que é a V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. É nesse encontro, que reúne os delegados e delegadas de todos os estados e a partir dos projetos de ação selecionados nas etapas anteriores, que serão realizadas oficinas, atividades culturais cívicas e diálogos sobre o tema ‘Água’.

Comentários

Comentários