Funac capacita socioeducandos para o mercado de trabalho

Informática Básica é um dos cursos oferecidos pela instituição (Foto: Divulgação)

A Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) investe na profissionalização dos socioeducandos por meio de cursos em diversas áreas, com foco no mercado de trabalho. Em Imperatriz, no Centro de Juventude Semear, unidade de internação provisória, os jovens participam, no Laboratório de Informática, duas vezes na semana, da oficina de Informática Básica. Eles estudam os módulos Windows, Word, Excel e Power Point.

A Funac tem avançado na capacitação profissional dos adolescentes privados de liberdade. “Por meio das parcerias e ações intersetoriais, em 2018, foram capacitados 366 adolescentes em cursos e oficinas profissionalizantes. A profissionalização possibilitará aos socioeducandos a construção de um novo projeto de vida”, ressalta a presidente da Funac, Elisângela Cardoso.

O professor Gustavo Nascimento destaca que na primeira aula de informática é identificado o grau de dificuldade de cada adolescente, e o acompanhamento é realizado individualmente.

“Os adolescentes aprendem ferramentas importantes voltadas para o mercado de trabalho, como a utilização de um editor de texto e uma planilha de cálculos. As aulas são teóricas e práticas onde são passados exercícios individuais e em grupo, o que possibilita a avaliação de integração e aprendizagem”, explica Gustavo Nascimento.

O socioeducando parabeniza a iniciativa da gestão em oferecer diversos cursos profissionalizantes para os adolescentes privados de liberdade. “Dentro do sistema socioeducativo tive oportunidade de participar de vários cursos, dentre eles artesanato, reciclagem, espaço net e, agora, das oficinas de informática. Só tenho a agradecer a gestão da Funac”, afirma.

O primeiro módulo é dedicado a prática da digitação. Nessa etapa, os jovens reproduzem, no computador, textos com formatações, tamanhos e especificações diferentes. No segundo, eles trabalham a inserção de tabelas, desenhos e gráficos em uma ferramenta de edição de texto. O último módulo desenvolve a execução de cálculos em planilha eletrônica.

Para os adolescentes, a participação na Oficina de Informática é uma oportunidade de adquirir novos conhecimentos e retornar à sociedade com um novo olhar sob o mercado de trabalho.

“O curso de informática está me ajudando muito na digitação e, também, a utilizar outros programas e isso será um diferencial no mercado de trabalho. As atividades que o professor passa são muito importante, pois aprendemos de forma prática”, avalia outro adolescente que participa das aulas.

Comentários

Comentários